A Turma

Entre les Murs venceu a Palma de Ouro em Cannes e tem tido uma crítica muito acima da média dá época. Motivos mais que suficientes para uma espreitadela antes que escapasse do grande écran.
O argumento é desarmante pela sua simplicidade e as imagens valem, essencialmente, pelo seu realismo. Praticamente sem actores, o filme é um convite do realizador (e também professor e actor principal) a que o espectador testemunhe um resumo de um ano de aulas numa escola qualquer dos subúrbios de Paris. Não há escândalos, nem drogas, nem violações, imagens de marca dos filmes do género professor/alunos. Há apenas um professor normal e alunos como nós fomos. Há um ambiente de sala de aula que imediatamente reconhecemos porque é real, porque é (ou era) o nosso.
O estilo é muito documental, Entre les Murs (A Turma, por cá) pode mesmo ser encarado como um documentário de grande valor, é verdade. Compreendo a crítica, embora este não seja o meu tipo favorito de filme. É leve e interessante, mas pouco aconselhável para um professor em férias – são só mais duas horas do que ele passa todo o ano e a provável pena que vão sentir por aquele professor ao acompanhar as suas lutas, os seus esforços, as suas tentativas de tentar ensinar a quem não mostra interesse por aprender. Afinal, apenas mais um como eles...

Classificação: 14 valores

1 comentário:

Mariana disse...

Quero ver este filme... arranja-mo!
E sim, voltei, tem clama! :D

Beijo*