Frost/Nixon

Frost/Nixon era à partida o candidato a melhor filme do ano que me despertava menor interesse, por aparentar ser um documentário daqueles cansativos, longos e demasiado políticos para o meu gosto. Agradável surpresa!

Richard Nixon foi o primeiro (e único, até à data) presidente dos Estados Unidos demissionário, muito por causa do escândalo do Watergate em que se viu envolvido. A oportunidade de uma redenção pública numa entrevista com um jovem e pouco ameaçador apresentador britânico (em contraste com os tubarões americanos, que exigiam o seu sangue, isto é, um pedido de desculpas à nação) pareceu-lhe um excelente negócio. Mas David Frost tinha alguns truques na manga…

Ron Howard, que conhecemos bem de Apollo 13, Uma Mente Brilhante ou Cinderella Man, por exemplo, dirige com mestria este jogo de interesses, preocupando-se essencialmente em retratar a personalidade de cada um destes dois homens e evitando o tom monocórdico documental. Frank Langella é um Nixon extremamente credível, usando e abusando não só das parecenças físicas com o ex-presidente mas também do tom de voz arrastado, pesado, imagem de marca de Nixon. Uma nomeação justa para o Óscar de melhor actor.

Uma história verídica contada da melhor forma, mesmo para quem à partida não é apreciador do género. Frost/Nixon é muito interessante.

Classificação: 16 Valores

Nos Desenhos Animados

Desculpem a minha suposta ignorância, mas nunca tinha ouvido falar d’Os Azeitonas. Pelos vistos já têm uns anos, têm passado por alguns festivais e queimas e as suas músicas fazem parte da banda sonora da série Rebelde Way. Talvez seja por isso que não os conheço.

Ouvi esta música por acaso na Rádio Montalegre, gostei logo do som e da voz, e achei a letra surpreendentemente divertida. Como tenho contactos importantes nos bastidores da rádio, descobri rapidamente os autores.

É daquelas músicas que queria ter sido eu a escrever. E há pelo menos três crianças grandes que eu conheço,que passam aqui diariamente e que sei que também vão gostar. Oiçam aqui e tirem as vossas conclusões:

Os Azeitonas – Nos Desenhos Animados (nunca acaba mal)

Elas podem cair a qualquer momento...

Fiquem desde já a saber que a punição divina para quem profere as palavras “Quero lá saber que esteja vento, nevoeiro, chuva e frio, só não quero é que haja neve na minha viagem a Montalegre na sexta-feira!” é o seguinte:

- Um temporal inacreditável com árvores caídas, árvores a cair, árvores a voar, cartazes e placas e sabe-se lá mais o quê, destroços na estrada que obrigam o condutor a sair do carro para os retirar e uma criatura histérica ao lado durante toda a viagem (que tem no entanto o mérito do título deste artigo);

- No Domingo, mesmo antes do regresso planeado, um nevão impressionante vindo sabe-se lá de onde, que é por causa das tosses.

Em resumo, quatro horas de viagem para cada lado. Perfeito. Para a próxima fico caladinho...

Vicky Cristina Barcelona

Sabe mesmo bem ver uma obra de Woody Allen de vez em quando. Principalmente quando ele está inspirado, romântico, empenhado e faz coisas boas como este Vicky Cristina Barcelona.

Como o próprio título indica, o filme relata a viagem de férias de duas amigas, Vicky e Cristina, a Barcelona e as suas aventuras inesperadas que começam quando conhecem um típico pintor espanhol. Nada de extraordinário para princípio de argumento, mas o que acontece a seguir torna esta história numa das mais frescas e divertidas do conhecido autor americano.
Vicky Cristina Barcelona é divertido, revigorante, bem-disposto, uma excelente opção para uma noite a dois no cinema. Mais: É uma história jovem e actual, que seria normal se realizada por alguém novo, em princípio de carreira – Porém, no ano em que o Estranho Caso de Benjamin Button parece ser o filme do ano, também o cinema de Woody Allen está a dar mostras de rejuvenescer em vez de envelhecer como seria, talvez, expectável. E isso são excelentes notícias...
Classificação: 15 Valores

Os Invictos - A Queda do Morais

Surpresa na A.F. Bragança: Ao décimo quarto jogo o líder Morais conheceu pela primeira vez o sabora da derrota no terreno do Argozelo e deixou de pertencer ao cada vez mais restrito lote dos invictos.
Restam agora quatro equipas neste mini-campeontato liderado pelo Montalegre que arrancou uma vitória muito suada mas extremamente preciosa no difícil campo do Ribeira de Pena e segue imparável na AF Vila Real. Na próxima jornada recebe mais um candidato ao título no estádio Dr. Diogo Vaz Pereira num jogo que poderá clarificar ainda mais a posição das duas equipas rumo ao campeonatos nacionais.

Óscares 2009 - Os nomeados

Foram anunciados ontem os nomeados para os Óscares 2009. Sem surpresa, O Estranho caso de Benjamin Button (13 nomeações) e Slumdog Millionaire (10) foram os mais nomeados e partem à frente na corrida pela vitória final.

Para além destes dois, também Milk de Gus van Sant e Frost/Nixon de Ron Howard eram apontados como sérios candidatos à nomeação, estando o último lugar em aberto para vários candidatos, como Revolutionary Road, The Wrestler, Doubt, Gran Torino, Changeling,The Dark Knight ou The Reader. Acabou por ser este último a consquistar o lugar, num ano impressionante a nível de cinema. Os realizadores dos cinco filmes foram também nomeados para o Óscar na categoria de realização.

Nos actores, nada de muito surpreendente – Sean Penn, Mickey Rourke, Brad Pitt, Frank Langella eram previsíveis, Richard Jenkins em The Visitor foi a supresa. Já nas actrizes um dado curioso: A Academia reconheceu o papel de Kate Winslet em The Reader como sendo principal, tendo ela ganho o globo de ouro de melhor actriz secundária por este mesmo filme... Kate Winslet é acompanhada nesta competição por Anne Hathaway, Meryl Streep, Angelina Jolie e a surpreendente Melissa Leo pela sua prestação em Frozen River. Estranho a ausência de Cate Blanchett desta lista, mas só me poderei pronunciar depois de ver as prestações de todas as outras...

Podem consultar aqui a lista completa de nomeados. A cerimónia decorrerá na madrugada de 22 de Fevereiro, a partir da uma da manhã.

É oficial...




...ESTOU FARTO DE NEVE!!!
(Está a nevar no Algarve. Algo de muito estranho se passa com o Mundo.)

O Estranho Caso de Benjamin Button

Chega a Portugal rotulado de um dos melhores filmes de 2008 e a verdade é que O Estranho Caso de Benjamin Button cumpre a promessa. É um filme belíssimo com um argumento quase perfeito. David Fincher, realizador de Se7en e Fight Club, por exemplo, é claramente um perfeccionista na forma como aborda esta fábula sobre um homem que nasce velho e em vez de envelhecer rejuvenesce.
Esqueçam os factores medico-científicos que esta situação poderia despoletar – não é disso que se trata aqui. Aliás, torna-se até um pouco estranho que todas as personagens achem quase normal que Benjamin seja o inverso de um ser humano normal. Mas adiante.
A caracterização é provavelmente a melhor de sempre, está absolutamente fabulosa e neste filme em particular não poderia mesmo falhar. Brad Pitt está bem mas não deslumbra, pois sempre que aparece Cate Blanchett o écran é todo dela. É uma actriz impressionante, dona de uma beleza invulgar, quase hipnótica. Não consigo compreender como é possível ela não ser nomeada para nenhum dos prémios a que este filme é candidato. Restam as nomeações para os Óscares, vamos ver.

O único problema de Benjamin Button é ser um filme longo com um ritmo calmo, tornando-se por isso um pouco díficil suportar as três horas na sala de cinema. O perfeccionismo de Fincher tem custos, e este foi o preço a pagar para a inexistência de falhas de argumento...
Mas durante toda a projecção, a cada fala, a cada passo, aquela sensação que se apodera de nós de que a vida é um bem maior, que somos perfeitos com as nossas imperfeições, que devemos gastar o tempo que temos com quem e como entendermos porque é nosso, só nosso...
Cinema puro e de qualidade. Um grande filme.

Classificação: 17 Valores

Feira do Fumeiro

O melhor programa possível para o próximo fim-de-semana... Apareçam, são sempre bem vindos!
P.S.- O Sol no cartaz é só para enganar - tudo indica que vai estar mesmo neve...

A homenagem do "As"

Sim, estou a dois golos do recorde de Di Stefano. Vou dar o meu melhor. Obrigado pelas honras de capa de jornal!



(Capa de hoje do jornal espanhol "As" - Sem qualquer tipo de montagem, acreditem ou não...)

Os Invictos - Montalegre na liderança!

A grande novidade da semana é a ascenção inevitável do Montalegre ao primeiro lugar da liga dos invictos! Com efeito, o Cova da Piedade não resistiu à pressão sufocante que vinha a ser exercida pelos barrosões e foi derrotado em casa pelo seu principal rival na luta pela subida à segunda divisão B, o Louletano, perdendo também o primeiro lugar na III divisão nacional série F. Já não existem equipas invictas nos campeonatos nacionais este ano.

Cantando e rindo, o Montalegre venceu facilmente o Valpaços em casa por 4-0 e beneficiou dos surpreendentes empates de Régua e Vidago para ficar ainda mais longe do alcance da concorrência. Leva agora 7 pontos de vantagem sobre o segundo classificado...

De resto tudo na mesma, pois Esp. Lagos e U. Coimbra golearam os seus adversários e não houve jogos nas AF Bragança e Évora.

Restam cinco equipas...

Bolt

A ideia era ver o Estranho caso de Benjamin Button, um dos filmes do ano e provável candidato a vários Óscares, mas a hipótese de reviver o cinema em 3D (com óculos e tudo) aliada à vontade de ver algo bem-disposto e leve levou-nos a escolher o mais recente sucesso da Disney – Bolt, o super-cão estrela de cinema.

Bolt não é o grande filme de animação do ano porque, entre outros motivos, este é também o ano de um fabuloso Wall-E que confere uma dimensão quase real à animação sendo (por muito tempo, creio) a obra-prima da animação. Mas não é só este o problema – quando analisado como filme (a animação já há muito que deixou de ser só para crianças e merece ser analisada como outro tipo qualquer), Bolt dá a sensação de reinventar uma fórmula já conhecida, por exemplo, de À procura de Nemo, alterando os nomes dos personagens e os cenários. Não há grande imaginação aqui, o filme é demasiado previsível e as personagens não são exploradas devidamente - veja-se a história da vida de Mittens que é abordada à pressa sem sequer dar tempo ao espectador de pensar no assunto. Há muita preguiça neste argumento...

Resta analisar Bolt como um filme para crianças, já que não traz grande novidade para a animação – e aí, tudo bem: É movimentado, colorido, as personagens são engraçadas (o Rhino é altamente) e as piadas funcionam. A história não é muito fácil para os mais jovens, mas com a ajuda dos pais acabam por chegar lá.

Divertido, principalmente em 3D. Mas pouco mais.

Classificação: 13 Valores

O Jogo da empresa

Hoje jogou a malta da empresa. Mas esta empresa não é como as outras, não se joga só para se manter a forma – e o jogo de hoje foi a prova disso. Análise da prestação dos craques:

Daniel: A sua principal arma é a velocidade estonteante com a bola nos pés. Enquanto teve força, foi o pulmão pelas alas, a criar muito perigo. Mas competiu mano-a-mano com Marcos pelo prémio de jogador mais perdulário da noite.

Ferraz: Jogador com uma capacidade técnica invulgar, se fosse mais novo a sua carreira teria pernas para mangas. Exibição bem conseguida, embora com dificuldades em soltar a bola no momento certo. Grandes golos de meia distância.

Monraia: O pêndulo da equipa. Sempre eficaz, com algumas incursões venenosas pela esquerda e mortífero nas assistências. Uma entrada à margem das leis sobre Marcos ia acabando prematuramente com o desafio.

Gomes: Jogador extremamente regular, excelente a defender e a lançar a equipa para o ataque. Precioso também na baliza com intervenções de grande nível.

Peixoto: Um guarda-redes de nível mundial e uma carreira perdida no software informático sem razão aparente. Defesas do outro mundo e saídas arriscadas, só à altura dos melhores.

Orlando: Três velocidades –Lento, muito lento e parado. Mas os pés e a careca nada ficam a dever ao Zidane... Excelente técnica individual e grande capacidade de passe. Envolveu-se em picardias desnecessárias que podiam ter levado à sua expulsão.

Moreira: Uma bela surpresa pelo excelente jogo de cabeça (e de cotovelos) e pela capacidade de desmarcação. Tem que treinar a finalização para ser um extremo-direito da classe de um Ronaldo. Não deve conseguir ir trabalhar amanhã.

Mário: Um pilar na defensiva e um gigante na baliza a comprovar que a carreira era, de facto, promissora. Com o seu estilo viril, é praticamente inultrapassável e está a atravessar um momento de forma invejável.

Marcos: Aquela entrada assassina de Monraia a meio do jogo interrompeu uma exibição que até aí estava a ser bem promissora. Foi o jogador mais perdulário da noite, saiu com claras debilidades físicas e também não deverá comparecer na empresa amanhã.

Varandas: Boa exibição, com algumas assistências de grande nível e dois golos fabulosos a não dar hipóteses ao super-guarda-redes Peixoto.

Em suma, duas mãos cheias de grandes jogadores, a comprovar que o software informático foi apenas uma opção, pois as carreiras futebolísticas prometiam...

Wikipédia

Hoje a Wikipédia faz anos. Oito anos, mais precisamente. Fenómeno crescente de popularidade, a Wikipédia nasceu com o intuito de se tornar na maior enciclopédia do Mundo. Objectivo plenamente conseguido, mas a que custo?

Como dizia Nuno Markl hoje na Antena3, a Wikipédia é uma ideia fantástica com um pequeno grande defeito – nós próprios. A verdade é que o conceito base desta enciclopédia virtual é a contribuição de qualquer pessoa que tenha Internet, a qualquer momento. Logo, não é totalmente fiável... Claro que as contribuições são moderadas, mas a regra é aceitar as informações da maioria dos utilizadores como factos, o que desvirtua os conceitos e a própria realidade.

No entanto, estamos perante uma das maiores invenções do século XXI até à data, pois a Wikipédia é consultada diariamente por milhares de utilizadores e é um dos 15 websites mais visitados no mundo (Fonte: Wikipédia, claro!). Mesmo não sendo cem por cento fiável, acaba por ser uma grande ajuda na maioria dos casos...

Frase do dia

Hoje, aqui na empresa:

"Este problema está a dar pernas para mangas!"

Genial.

Passadeiras

Ando ha quase um mês a pensar neste assunto. Sabia que um dia tinha que falar disto no blog e hoje foi o dia. Porque hoje foi a gota de água.

Primeiro é necessário ter presente que existem dois tipos de passadeiras. As que têm semáforos, que são respeitadas na generalidade dos casos, e as outras. São essas que me fazem confusão. Não percebo a sua existência e reparo diariamente que ninguém as respeita. Ninguém, nem mesmo os próprios peões. Todos os dias vejo gente a atravessar a 20 cm da passadeira. TODOS OS DIAS. Ela está ali, a um passo. Mas as pessoas, quiçá para soltarem o rebelde que há em si, atravessam quase lá, como que a provocar. Não consigo perceber.

Outra: O tipo que pára no passeio, virado para a passadeira. Quer passar? Não quer. Só está ali porque a via é pública e tem o direito de estar ali, virado para a estrada. E a verdade é que tem mesmo, portanto nada a fazer. E tenho que parar, fazer figura de parvo a olhar para o transeunte que está ali só porque está e reiniciar a marcha. Adoro.

Pior de todas: Pelo menos aqui no Porto acontece frequentemente o peão parar na borda do passeio para atravessar, olhando para os carros com ar bem disposto. Quando páro, porque devo parar, o tal transeunte abre um sorriso gracioso e faz sinal para eu passar. Vê-se claramente que é alguém que está de bem com a vida, ainda bem, e que tem tempo de sobra, ainda bem. MAS EU TENHO PRESSA E JÁ ME ATRASEI, POR ISSO FAÇA O FAVOR DE PASSAR DE UMA VEZ POR TODAS!!! E convencê-lo? Que não, que tem tempo, vê-se que só vai atravessar quando não existir nenhum veículo num raio de quinhentos metros...

E hoje, a velhota que obriguei literalmente a passar na passadeira porque me fez parar, percorreu o caminho de um lado ao outro da estrada a preguejar e a chamar-me todos os nomes. E eu não entendo isto.

A cereja no topo do bolo é a fantástica obra de arte rodoviária que construíram à entrada da minha rua. Reparem:
Não vale a pena sequer tentar entender que figura geométrica é esta. A questão é que esta malta das obras está do lado dos peões nisto de desrespeitar as passadeiras – Se passa alguém com carrinho de bebé ou cadeira de rodas, por exemplo, vai preferir passar AO LADO da passadeira, pois o raio da passadeira tem degrau - basta reparar no indivíduo da imagem. A 20cm da passadeira. Provocador.

Eu proponho choques eléctricos para quem pisar a estrada havendo uma passadeira a menos de 50 metros e para quem ficar parado na borda de uma passadeira por mais de 1 minuto. Que tal?

Ronaldo é o melhor do Mundo...

...mas continuam, na rua e na internet, a chover comentários em português, de gente portuguesa, a dizer que ele não joga nada, que o Messi é que é bom, que o Kaká não sei que mais e a Espanha é que foi campeã da Europa. Resumindo: Estamos bem é quando não temos nada - para podermos chorar, ser uns coitadinhos e cantar o nosso triste fado. Se algum de nós ganha alguma coisa, por mais pequena que seja, somos invejosos e mesquinhos.

Não merecemos NADA.

Parabéns Ronaldo. Tu, pelo menos, mereceste...

Globos de Ouro 2009

Foi ontem de madrugada a cerimónia de entrega dos Globos de Ouro, que funciona normalmente como uma previsão do que será a cerimónia dos Óscares em Fevereiro próximo. Slumdog Millionaire, de Danny Boyle, foi o grande vencedor da noite arrebatando os Globos de melhor filme dramático, melhor realizador, melhor banda sonora original e melhor argumento. Notável...

A surpresa da noite foi a actriz britânica Kate Winslet, que depois de ser nomeada para 5 Globos de Ouro e 5 Óscares pelas suas prestações, foi finalmente premiada e logo com os dois globos – melhor actriz (em Revolutionary Road) e melhor actriz secundária (em The Reader)! Noite mágica para Kate Winslet que, efectivamente, já merecia...

Nota também para a “Ressurreição” de Mickey Rourke que arrebatou o prémio de melhor actor dramático depois de muitos anos de ausência e de problemas com álcool e drogas. Grande momento com Dan Afroski, realizador de The Wrestler, quando o actor lhe chama “One tough son of a bitch” e o realizador responde com o dedo médio bem levantado. Politicamente incorrecto, mas excelente...

Quanto aos prémios de TV as séries 30 Rock (Comédia), Mad Men (Drama) e John Adams (Mini-série) foram os mais premiados. Sem surpresa, eram os grandes favoritos pois gozam de uma grande aceitação no público americano. Apesar de ser fã de Tina Fey, autora e actriz principal de 30 Rock (melhor discurso da noite de ontem – vejam no youtube!), pessoalmente prefiro qualquer uma das 4 séries que também foram nomeadas para melhor série de comédia – Entourage, Californication, The Office e Weeds interessam-me muito mais do que 30 Rock. Mas são gostos...

Podem encontrar todos os nomeados e vencedores aqui.

Os Invictos - Mais dois eliminados

Sucesso! O Montalegre venceu mesmo o principal rival na luta pela subida de divisão - o Régua - por 1-0, no jogo em atraso da A.F. Vila Real, beneficiando do facto de o União de Coimbra não ter jogado este fim-de-semana para subir para o segundo lugar da classificação. O Montalegre ameaça agora a liderança do Cova da Piedade que empatou a duas bolas no campo do Messinense.
Menos sorte tiveram o Portomosense (perdeu em casa 1-3 com o Alqueidão da Serra) e o At. Riachense (foi perder 2-1 ao terreno do Alcanenense), que se despedem da Liga dos invictos deixando apenas seis equipas na luta por este curioso prémio. Por fim, o Morais alcançou uma vitória expressiva, 12-0, o que lhe permitiu ultrapassar o Estrela de Vendas Novas por diferença de golos. A equipa de Évora é agora a “Lanterna Vermelha” desta liga.

Um fim-de-semana não programado

Notas a reter deste fim-de-semana:

a) Nunca mais acreditar nos sites de meteorologia da Internet sobre o tempo que se faz sentir em Montalegre. Desde quinta que diz que o tempo está “Ensolarado” e eu não pude ir de fim-de-semana por causa do nevão. A internet pode saber quase tudo, mas não sabe nada sobre Montalegre.

b) Já esgotou há muito a minha paciência para a neve este ano.

c) Nunca mais visitar o IKEA a não ser que precise de milhares de coisas para a casa. É que uma visita ao sábado “só por curiosidade” pode-se tornar numa viagem infernal de meia hora num labirinto só com uma saída e com mais gente do que em Fátima no mês de Maio.

d) Mesmo que só exista uma mesa disponível no restaurante, nunca mais jantar em frente à porta e debaixo do ar condicionado num dos dias mais frios do ano.

e) O “Porto Sentido” é, efectivamente, uma boa opção em qualquer bar de karaoke. Mesmo naqueles em que todas as outras pessoas só cantam Roberto Carlos e Santa Maria.

f) Lençóis polares – comprar mais, muitos mais!

g) Melhor invenção de sempre- O ben-u-ron, mesmo tomado com cerveja.

h) Melhor sensação de sempre – aquele ouvido que finalmente se destapa depois de horas e horas de surdez desse lado...

Changeling - A Troca

Lembro-me claramente: A última vez que senti uma angústia tão profunda numa sala de cinema foi em 2003 quando fui ver Mystic River, também de Clint Eastwood. Changeling é um drama intenso, uma história verídica contada de forma irrepreensivel. E Angelina Jolie é soberba... Que saudades de a ver numa grande interpretação, já que desde o longínquo Vidas Interrompidas a actriz tem embarcado em projectos que preferem realçar as suas qualidades físicas em detrimento das artísticas. Má opção, pois apesar do físico invejável (acho que estamos todos de acordo neste ponto) o talento de Angelina é óbvio –Em Changeling o sofrimento contido daquela mãe que perde um filho está em cada gesto, em cada olhar, em cada linha da sua face, nos gemidos, nos choros, nos gritos. O seu sofrimento torna-se no nosso sofrimento. Aplausos, muitos! Uma nota ainda para a banda sonora original que é o complemento ideal para o tom triste e pesado da narrativa.

O filme parece estar arredado dos grandes prémios do ano, exceptuando a prestação de Angelina Jolie que poderá ser justamente premiada. Estou extremamente curioso para ver se, no ano de todos os realizadores, há obras melhores e mais consistentes do que esta de Clint Eastwood. Para já, tenho as minhas dúvidas...

Classificação: 18 Valores

Linhas (Incor)rectas

Trofense-Benfica, linha de fora-de-jogo desenhada na Sporttv e gentilmente cedida ao jornal "A Bola":

Guimarães-Benfica, previsão da linha de fora-de-jogo na sporttv para ceder gentilmente ao mesmo jornal:


Bufete Fase - Porto

Fica no 1147 da Rua de Santa Catarina, bem no coração da cidade do Porto. Desde que cá cheguei, há seis anos e meio, que digo e reafirmo que as francesinhas são o que de melhor tem a cidade Invicta. Pelo menos uma por mês não pode falhar... O Requinte em Matosinhos e a Cunha 2 em Ramalde são os que normalmente frequento, pois a qualidade é garantida. No entanto sempre ouvi falar do Bufete Fase e andava a adiar a visita já há tempo demais...

O local não é fácil para quem precisa de estacionar, a sala(???) tem 5 mesas de 40 cm2 cada (uma cama de casal não caberia naquele espaço) e o tempo de espera, se se for jantar à hora...normal de jantar pode ser, por razões óbvias, bem grande. Mas a francesinha compensa tudo isto, pois é realmente fabulosa... Ficou-me na retina o empenho e a minúcia com que os três empregados do estabelecimento elaboram a francesinha e a qualidade excepcional de cada um dos ingredientes. Há quem diga que é pequena, a verdade é que não é grande, mas tem o tamanho ideal para uma boa refeição.

Por tudo isto, o Bufete Fase acaba de entrar facilmente para o meu top 3 de melhores francesinhas do Porto e arredores. Aconselho vivamente, mas apareçam por lá bem cedo e só com um ou dois amigos no máximo...
Qualidade dos pratos: 20
Qualidade do serviço: 18
Tempos de espera: 12
Preço: 16

CLASSIFICAÇÃO FINAL: 17 Valores

Bufete Fase
Rua de Santa Catarina, 1147
Porto

Acidente de trabalho (surreal...)

Participação de sinistro

Exmos. Senhores:

"Sou assentador de tijolos. No dia 8 do passado mês de Junho estava a trabalhar sozinho no telhado de um edifício de 6 andares. Quando acabei o meu trabalho, verifiquei que tinham sobrado mais ou menos 250 kg de tijolos. Em vez de os levar à mão para baixo, decidi colocá-los num bidão e com a ajuda de uma roldana, a qual felizmente estava fixada num dos lados do edifício no 6o andar, fazê-los descer.Desci e atei o bidão com uma corda, fui para o telhado, puxei o bidão para cima e coloquei os tijolos dentro. Voltei para baixo, desatei a corda e segurei-a com forca de modo a que os 250 kg de tijolos descessem devagar. Como eu só peso 80 kg, qual não foi a minha surpresa quando repentinamente saltei do chão, perdi a minha presença de espirito e esqueci-me de largar a corda. É desnecessário dizer que fui içado do chão a grande velocidade. Na proximidade do 3o andar, embati no bidão que vinha a descer, isto explica a fractura no crâneo e a clavícula partida.
Continuei a subir a uma velocidade ligeiramente menor, não tendo parado até os meus dedos estarem entalados na roldana. Felizmente já tinha recuperado a minha presença de espirito e consegui agarrar-me à corda. Mais ou menos ao mesmo tempo, o bidão com os tijolos caiu no chão e o fundo partiu-se. Sem tijolos, o bidão pesava mais ou menos 25 kg. Como podem imaginar, comecei a descer rapidamente. Próximo do 3o andar encontrei o bidão que vinha a subir, o que explica a fractura nos tornozelos e as lacerações nas pernas, bem como na parte inferior do corpo. O encontro com o bidão diminuiu a minha velocidade de descida o suficiente para minimizar os meus sofrimentos quando cai em cima dos tijolos. Felizmente só fracturei 3 vértebras. Lamento no entanto informar que, quando me encontrava em cima dos tijolos, com dores, incapacitado de me levantar, e a ver o bidão lá em cima, perdi novamente a presença de espirito e larguei a corda. Obviamente que o bidão pesa mais que a corda, então este desceu, caindo em cima das minhas pernas e partindo-se imediatamente, bem como as minhas pernas.

Espero ter dado a informação detalhada de como ocorreu o acidente."

O "Incêndio"

Ao entrar em casa, distraído na conversa com o meu irmão ao telefone, nem me apercebi do alarme de incêndio que soava no prédio. Desliguei o telemóvel para entrar no elevador mas só quando ia no quarto andar me apercebi que talvez aquele ruído infernal fosse motivo suficiente para eu não estar naquele elevador. Fui pensando nisso até ao décimo segundo. “Bem”, pensei, “se cheguei até aqui e nem me cheira a queimado não há-de ser nada de grave”. Só quando espreitei pela janela e me imaginei a saltar dali para uma cama elástica de bombeiros é que me apercebi que talvez não seja mesmo boa ideia estar num décimo segundo andar quando o alarme de incêndio toca por todo o prédio.

Peguei nos meus bens mais valiosos (O telemóvel e o portátil, pois claro) e desci a correr as escadas dos 12 andares. Estranhei mais ninguém fazer o mesmo, mas agora já não era hora de pensar nisso... Só quando cheguei cá abaixo e me encontrei sozinho me apercebi do ridículo da situação: Era mesmo o único morador dos 48 apartamentos do prédio que tinha decidido abandonar a sua habitação. O alarme não parava de tocar, mas o pessoal ia entrando e saindo normalmente, com a única diferença de todos taparem os ouvidos com ambas as mãos.

Falso alarme, pois claro, que um senhor de idade tinha decidido queimar umas borrachas no -1... Mas ainda hoje não entendo porque é que só eu saí de casa... Terá sido assim tão má ideia?

Os Invictos - Actualização

A Liga de Invictos ficou reduzida a 8 equipas com a derrota do Benfica na Trofa. Assim sendo, O Cova da Piedade passa a ser a única equipa invicta em campeonatos nacionais. De resto, o Montalegre regressou às vitórias derrotando o Sabroso em casa, o que lhe valeu um salto de três lugares na classificação!


10 Melhores Filmes do Ano


Demorou porque estive a pensar bem no assunto, mas finalmente apresento a minha lista dos 10 melhores filmes de 2008. É tradição na blogosfera, portanto apanho o comboio pela primeira vez...

1 – O Lado Selvagem (Into The Wild). Para mim o melhor filme de 2008, nem sei se passou pelas salas de cinema pois é quase desconhecido em Portugal. Realizado por Sean Penn e com um excelente elenco, é absolutamente memorável. E a banda sonora original de Eddie Vedder é a cereja no topo do bolo...
2 – Este País Não é para Velhos (No Country For Old Men). O vencedor do óscar de melhor filme, obra-prima dos irmãos Coen.
3 – Tropa de Elite. Duro, cruel, um soco no estômago. Grande realização!
4 – O Cavaleiro das Trevas (The Dark Knight). Muito aclamado pela crítica e um sucesso de bilheteiras, é muito mais que o melhor Batman de sempre...
5 – Wall-E. Há muito que a animação deixou de ser exclusiva para crianças e jovens. Wall-E é fenomenal em todos os aspectos...
6 – Juno. O filme independente do ano, a provar que o bom cinema não tem que ser cinema pesado. Leve, mas cheio de conteúdo – e muito divertido!
7 – Haverá Sangue (There Will Be Blood). Um pouco longo, mas com mais uma performance formidável do melhor actor de sempre: Daniel-Day Lewis.
8 – REC. Um dos dois filmes que vi no Fantasporto e que acabou por vencer o festival. Medo, muito medo!!!
9 – Ensaio Sobre a Cegueira (Blindness).
10 – Sweeney Todd.
Um mundo à parte, com Johnny Depp e Helena Bonham Carter surpreendentes cantores...

A Consagração!

E às 02:30 da manhã eu e o Daniel vencíamos o torneio PES da empresa-turno da noite. Nos nossos polegares o AC Milan voltou às grandes vitórias europeias e logo contra a nata do futebol europeu – Barcelona, Real Madrid, Chelsea, Manchester, Juventus e Inter sucumbiram aos pés de Kaká, Ronaldinho e companhia.

É que, como diria o internacional português Paulo Futre há uns anos quando ingressou no clube italiano, “Milan é Milan, e como o Milan não há Milan. Melhor não há, igual talvez...”

Impressionante...

video

O Primeiro Dia

É impressão minha ou o dia 1 de Janeiro é sempre o dia mais menos do ano???