PUR...quê???

Ainda com o caso Ensitel na cabeça, ontem decidi verificar o que se passava com a minha Internet móvel.

Em Outubro reparei que andava a pagar muito por um serviço fraco, pelo que decidi tratar de mudar de tarifário. Mudei para um que, sendo um pouco mais barato se apresentava muito melhor - com tráfego ILIMITADO e garantia de velocidade MÁXIMA durante todo o mês.

Um espectáculo. No entanto, já escaldado com situações antigas, pedi-lhes encarecidamente que me enviassem um mail a dizer, letra por letra, qual o meu novo tarifário e a data da alteração. Só para salvaguardar... entretanto aproveitei também para, obviamente, ler todos os pormenores do tarifário e ligar aos senhores para confirmar que aquilo era mesmo o que parecia!

Passou o primeiro mês (Outubro) e foi uma alegria. Em Novembro, mais ou menos a partir do dia 20, a Internet começou a ficar muito lenta, voltando ao normal no dia 1 de Dezembro. Estranhei... mas deixei passar.

Agora aconteceu o mesmo. Decidi ligar:

"- Olhe, a minha Internet móvel, que tem tráfego ilimitado e velocidade máxima, passa a velocidade super-lenta nos últimos dias do mês.
- Ah, sim, trata-se da nossa PUR (Política de Utilização Responsável). A partir de X gigas de downloads passa a ter uma velocidade mínima.
- Olhe, mas eu não pedi nada disto e em Outubro, quando mudei para este tarifário, não havia nada disto...
- Sim, sim, isto foi implementado em Novembro...
- Ah..."

Curioso, fui espreitar o site, que tem uma pequenina adenda às regras que existiam no tarifário:
E é isto. Infelizmente, é o que temos.

Ensileaks

Uma salva de palmas para as redes sociais e o efeito "bola de neve"!!!

O motivo? É este.

Os resultados? Vários, a começar por isto:Desculpem, mas tenho mesmo que o dizer: GRANDE ABRE-OLHOS!!!

Receita para a passagem de ano... e não só!

A Aline descobriu, lá do outro lado do Atlântico, uma forma de evitar a embriaguez e a ressaca que se segue, naturalmente, a uma noitada de copos. Segundo a revista "VEJA":

"Alternar copos de água com os de cerveja ameniza, a desidratação. Embora a cerveja seja composta de 95% de água, ela contém álcool em quantidade suficiente para desidratar o organismo. Isso acontece porque o etanol presente nas bebidas alcoólicas inibe a produção do hormônio antidiurético e provoca a vontade constante de urinar. O corpo perde líquido, e a concentração de toxinas no sangue aumenta rapidamente, pois o álcool demora para ser metabolizado e eliminado. O resultado são os sintomas típicos da embriaguez. 'A água pura, que aumenta o nível de diluição do álcool, ameniza esses sintomas, limpa o organismo e alivia a dor de cabeça e a sequidão da boca, características da ressaca', diz Odete Sanches, nutricionista do Hospital Albert Einstein. 'E é natural, também, que ao beber água a pessoa consuma menos cerveja'."

Ou seja, o ideal será, numa noite de copos, beber um copo de água de meia em meia hora para manter estáveis os níveis de água no corpo e os órgãos em funcionamento normal.

Quem se vai lembrar disto na altura certa? Provavelmente ninguém. Mas não deixa de ser um truque bem interessante...

Feliz Natal a todos!!!

video

E já a seguir...

... a prenda de Natal de Corda aos Sapatos. Estão preparados? Eu não.

O meu Natal

Teria eu uns 8, 9 anos, e já andava desde o Verão a dizer aos meus pais que para o Natal queria aquela pista de carros telecomandados. Um azul, outro vermelho, para jogar contra o meu irmão e ganhar sempre. A avaliar pelo anúncio na TV, a velocidade era vertiginosa, os carros eram lindos e as possibilidades de diversão pareciam inesgotáveis...

Era, no entanto, pouco provável receber a prenda desejada, apesar da insistência: Os meus pais sempre fizeram questão de nos dar no Natal prendas que fossem, acima de tudo, úteis e (no caso de brinquedos) que parecessem de longa duração - os meus pais nunca se fiaram muito nos anúncios da TV.

Por isso a surpresa foi enorme quando, dessa vez, recebi mesmo a pista de carros. Igualzinha à da TV. Linda e fantástica! Lembro-me de estar realmente feliz nesse dia.

Durou dia e meio, o raio da pista. A partir de certa altura os carros deixaram de andar, um problema electrónico qualquer. Não, não estraguei nada, que quem me conhece da altura sabe que nunca fui de destruir coisas. Era mesmo defeito de fabrico... de tal maneira que a caixa depressa voou de volta da minha mão para a da minha mãe, para "repararem o erro ou mandarem outra nova". Nunca mais.

Não sei se ninguém se lembrou de ir buscar a nova, se a minha mãe percebeu que era mau negócio e pediu devolução do dinheiro, não faço ideia. Sei que nessa altura eu próprio percebi que tinha levado os meus pais a gastar dinheiro num brinquedo parvo que, afinal, funcionava mal e que, convenhamos, quando avariou (um dia depois, relembro) já tinha perdido a piada há muito...

A moral da história? As prendas que recebemos em crianças, o Natal mais ou menos consumista com que crescemos, também ajudam a moldar a nossa personalidade e a forma como cada um vive o Natal para si e para os outros. Eu aprendi, com episódios como este, a valorizar as prendas que me dão pelo tempo em que as pessoas estiveram a pensar em mim e no que eu gostaria de receber.

Sim, para mim este é um bom conceito do Natal - O tempo que gastamos a pensar em que é que podemos contribuir para tornar um bocadinho mais felizes aqueles de quem gostamos...

Frases que marcam um fim-de-semana

- Trabalhar aqui é... não ter consciência. É não se saber o que se anda a fazer!

- A beira da estrada não é o mesmo que a estrada da beira... e o olho do cujo não é o mesmo que a Feira de Borba!

- Isto é um abre-olhos!!!

- Gosto de ver esta sala cheia...

- 'cá boua' [Dá cá a bola]

- Ao Benfica saiu como adversário uma música dos Delfins - "Se Tu Te Gard..."

- Man, andam a pendurar uma cena vermelha com um chavalo nas janelas...

A não perder!!!

Espectáculo de Natal desenvolvido pelo Centro de Estudos de Barroso - Teatro e Tradições de Montalegre, com encenação de Mariana Pedreira e participação dos actores amadores da instituição (que é como quem diz, a malta toda da terra). Conto ver-vos por lá...Podem ler a notícia na página da CM de Montalegre aqui.

O salvador (sim, este é com letra pequena) do Natal

Não são muitas as prendas a oferecer, mas eu sou um tipo problemático a comprar presentes para as pessoas. Não pode ser uma coisa qualquer, não pode ser cara, tem que ser útil e, acima de tudo, tenho que conseguir "ligar" a pessoa à prenda. Quando isto não acontece, nada feito. Voltas e voltas num shopping cheio como um ovo, sem paciência para a confusão, à procura de inspiração.

Meia hora depois, já com alguns quilómetros nas pernas e ZERO compras efectuadas, dou por mim a pensar que isto me acontece todos os anos. E como é que eu resolvo isto todos os anos?

O meu irmão. Claro. O meu irmão é a melhor pessoa do Mundo para dar prendas. Tudo serve para ele, tudo encaixa nele. Bonés russos da neve, sacos de boxe, skates, roupa de todo o tipo, tacos de basebol, realejos, ferrinhos, cubos mágicos, coisas dos chineses, dos índios, dos ciganos, dos paquistaneses. Gosta de tudo, ou pelo menos faz-nos acreditar nisso porque dá uso a TUDO o que já lhe ofereceram até hoje! E há ainda a vantagem de o preço da prenda dele servir de base aos preços das restantes, o que torna a procura mais precisa.

E foi isto. Comprei a prenda para o meu irmão em 2 minutos, motivei-me, e em uma hora despachei tudo. Obrigado mais uma vez, pá! Voltaste a desbloquear o meu Natal!!!

O rap do violador

O Tchechas descobriu isto no Youtube, chamou-me a atenção e não posso deixar passar a oportunidade para imortalizar aqui no blog... a situação foi a seguinte:



... o que deu origem... a isto:



Não está fantástico???

Coupling

Coupling é uma "British sitcom" do melhor que há. A receita é simples e não é nova: Três homens, três mulheres, assuntos dominantes as relações, o amor e, principalmente, o sexo.

A grande vantagem da série é ter, realmente, muita piada pela forma original e inventiva como são explorados os aspectos banais, do dia-a-dia de uma relação de namorados, amantes ou amigos. É, em muitos aspectos, um "How I Met Your Mother" inglês, e é (muito, mesmo muito) provável que os inventores da popular série americana tenham vindo buscar algumas boas ideias e a excelente dinâmica de Coupling, que durou de 2000 a 2004 e deixou saudades.

Deixo-vos um pequeno exemplo de um assunto debatido num dos episódios, com uma teoria que não é minha mas... podia muito bem ter sido!

- Porque é que os homens nunca se enroscam?

“Cabelo na cara. Alguém a respirar-te para cima. Contacto de suor. Ficas com menos de um palmo da largura total da cama.

E elas? Parece que têm membros extra, para te embrulharem neles. É um facto: Assim que desligas a luz, as mulheres desatam a desdobrar membros extra. E assim que te mexes, mesmo só um bocadinho, acordam-te e perguntam-te o que há de errado.

O que há de errado?? O que há de errado é que estou encurralado debaixo de um polvo, cabeludo e curioso, com uma irritante tendência para se enroscar!!!”

Cluedo

Estou hospedado num Solar antigo, enorme, fantástico, em Torre de Moncorvo.

Seria tudo perfeito se não estivesse com a permanente sensação de que a qualquer momento posso ser morto na Cozinha pelo Coronel Monteiro com a Chave Inglesa ou no Estúdio pelo Prof. Brandão com o Candelabro.

Inverno 2010/2011 - O primeiro round

Não conseguir ir para Montalegre na Sexta.

Conseguir chegar a Montalegre no Sábado.

Conseguir ir a Cervos duas vezes durante o fim-de-semana.

Conseguir vir embora de Montalegre no Domingo.

Resultado Final: Varandas 3 - Neve 1.



[Mas sei que só ganhei uma batalha... a guerra ainda mal começou!]

Música portuguesa. Da boa.

Não, não vou entrar naquele discurso do "devíamos olhar mais para a música portuguesa, muito melhor do que alguma estrangeira, etc, etc". Já sabemos que há música muito boa em Portugal, mas também se faz muita porcaria...

E sinceramente, isso de em Portugal não se ouvir música portuguesa já me começa a parecer uma lenda. O que é óptimo, claro. Permite-nos conhecer obras como estas duas, de autores que merecem ser seguidos de perto, pois asseguram um bom futuro ao que por cá se faz. Vale a pena "perder" cinco minutos...





[Sugestões do meu irmão e do Ricardo, respectivamente. Esta última é uma versão de um original dos Trovante, mas é lindíssima na mesma!]

Metódico

Diálogos da minha mente nas compras:

- Olha, champôs! Acho que preciso de um champô, que o meu está a acabar.
...
- Mas será que tenho outro de reserva naquela gaveta da casa-de-banho?
...
- Hum, não me lembro. O melhor é comprar, se ficar com um a mais não se estraga.
...
- E qual é que compro? O que ando a usar? Não, já estou farto do cheiro desse. Olha, vou experimentar este que nunca usei.

Em casa:

- Vou guardar o champô e aproveito para ver se sempre tinha mais algum na tal gaveta.

Todos CHEIOS. Tendo em conta a minha quantidade enorme de cabelo, provavelmente tenho champô até à reforma...

Hoje é dia de agradecer à Deolinda...

...por isto.

[Para além da versão da banda parece que também o vídeo foi feito pela Ana da Deolinda. E agadeçamos também, já agora, ao José Barata Moura - autor da letra. Isto vale milhões!]

O vídeo da polémica

Está a dar que falar, novamente, José Mourinho. Há uns anos atrás foi ele que inventou a já célebre técnica de "forçar" amarelos - Quando um jogador estava a apenas um amarelo de ser suspenso por acumulação, Mourinho fazia questão de que esse jogador recebesse o amarelo que faltava antes de um jogo mais "fácil", para poder estar disponível depois, em jogos mais complicados.

A legitimidade moral deste acto pode ser questionada. No entanto, Mourinho não faz mais do que aproveitar uma área cinzenta na lei que não tem castigo previsto para este tipo de atitudes.

Chegando a 2010, as entidades que regulam o futebol, teimosas, continuam ser criar nenhuma lei para o efeito. Vai daí, Mourinho reinventa a estratégia: Falta um jogo para acabar a fase de grupos da Liga dos Campeões e o Real, com a vitória (0-4) no terreno do Ajax, fica apurado. Xabi Alonso e Sérgio Ramos viram cartão amarelo neste jogo, ou seja, ficavam a um amarelo da suspensão. Sim, Mourinho podia não os pôr a jogar no último jogo da fase de grupos, mas aí continuavam, nos oitavos-de-final, com um cartão amarelo...

Que fazer? Ordenar aos jogadores em causa que vissem segundo amarelo e consequente expulsão. Assim estão castigados no próximo jogo que não interessa a ninguém e "limpam" os cartões. O vídeo que se segue torna-se, a certa altura, hilariante...

[E para os que, como eu, são fãs do Fantasy Football, se a moda pega estamos tramados... todos corridos a pontos negativos!!!]

Mais uma pérola...


Este é um típico "sem comentários", mas não consigo deixar de realçar os seguintes pontos:

- A sanita na primeira pessoa;
- A pontuação (fabulosa);
- As alterações de tamanho de letra sem razão aparente;
- O tom ameaçador da questão "Ou não queres?"

Bizarro, mas ao mesmo tempo... mítico!

Back for Good (...?)

Quem diria?? Finalmente os Take That voltam a ser cinco. Gary Barlow e Robbie Williams, depois de variadíssimas agressões verbais mútuas, fizeram as pazes e decidiram voltar a juntar a banda que tanto sucesso alcançou nos anos 90. Será que é para durar?

À birra, zanga e separação (1995) sucedeu-se a posterior ascenção meteórica de Robbie Williams como cantor a solo. Os restantes elementos andaram perdidos por uns tempos, até que decidiram voltar a juntar a banda (de 4 elementos) e a vida até nem lhes estava a correr nada mal - Os recentes 'hits' Shine e Patience mostraram que, afinal, os Take That podiam bem sobreviver sem Williams.

Mas em Junho lá fizeram todos as pazes, voltaram a ser amiguinhos, e os fãs agradecem - Aqui está, fresquinho, The Flood - o primeiro single da nova geração Take That. Eu gosto!

Adeus, Senhor do Adeus!

Hoje fiquei absolutamente surpreendido com a enorme manifestação de carinho que se gerou pela Internet durante o dia devido ao falecimento, aos 80 anos, do Senhor do Adeus. Aquele senhor que estava sempre no Saldanha a dizer adeus a quem passava, aquele que fazia com que os jovens (e não só) passassem por lá de propósito, a buzinar, para receber em troca um aceno que os divertia.

Sabe-se agora que o Senhor do Adeus não era, afinal, um maluquinho que ali estava. Era apenas um homem só que se distraia, que se sentia feliz naquele singelo e peculiar momento de partilha, de ligação - apenas isso. O Senhor do Adeus adorava o cinema, tinha um blog, tinha amigos. Era amigo de todos.

Também me surpreende a forma como esta notícia me tocou profundamente. Não sei se pela onda de mensagens de despedida que se gerou, se pela descoberta da verdadeira personalidade do senhor, ou se apenas porque era (mesmo que fosse o "maluco" que eu pensava) uma personagem que nos transmitia qualquer coisa boa que não sei explicar.

Disse-lhe adeus apenas duas vezes desde que mo "apresentaram". Hoje despeço-me pela terceira e última vez.

"Solidão, essa senhora é uma malvada, que me persegue por entre as paredes vazias da casa. Para lhe escapar, venho para aqui. Acenar é a minha forma de comunicar, de sentir gente."
João Serra (O Senhor do Adeus), 1930 – 11 Novembro 2010

Eu é que não sou parvo!

Há vários meses que oiço na rádio a publicidade de uma conhecida marca de produtos de electrónica com um tipo a dizer "Eu é que não sou parvo!", e apesar de o tipo me irritar profundamente eu achava que tinha percebido a ideia: Um tipo parvo, com voz de parvo a dizer que não é parvo. Irritante, mas inteligente.

Há pouco tempo descobri de quem é a voz. Do Quimbé.

Um tipo com o nome/alcunha Quimbé já tem meio caminho andado para irritar as pessoas, mas entretanto já o vi no programa "Quando o telefone toca" (sim, é aquele dos óculos vermelhos) e... ele fala MESMO assim. Sempre assim. Ou seja, a publicidade não foi uma ideia inteligente - foi uma ideia normal.

Onde é que eu já o vi mais? Isso mesmo. No início e no intervalo dos jogos da Luz é ele o animador de serviço, com microfone na mão. O que me leva a pensar como é que com seis milhões de adeptos, em todas as áreas possíveis e imaginárias, o Benfica só consegue arranjar o tipo do "Eu é que não sou parvo" para animar as bancadas da Luz. Sem comentários...

[E é curioso como no dia em que eu decido escrever sobre isto recebo, mais tarde, uma mensagem do meu irmão a dizer "Um dia ainda descubro quem é o $%#&/$&/% daquela publicidade..."]

Diga lá outra vez????

Relatório do médico, depois de um miúdo estar 5 horas à espera para ter alta na sequência de um acidente de viação:Surreal, não é? Aconteceu com o filho de um amigo, no hospital de Santarém, e o miúdo, no fim das contas, não teve nada. Mas quem vê este "relatório" pensa que ele tem lesões graves ou coisa do género...!

Incrível mesmo é como conseguiram acertar na frase "Sensibilidade mantida"... Foi a única...

The Social Network

Fim-de-semana ideal para regressar ao cinema, desta feita para ver o último de David Fincher sobre a maior rede social da Internet, o Facebook.

Mais concretamente, é a história de Mark Zuckerberg, um estudante de 26 anos que se torna milionário de um dia para o outro por ter tido... uma grande ideia: A criação de um grupo social, de um clube, na Internet, com informações em tempo real como o estado de espírito, o estado civil, bem como a partilha de fotos, vídeos, etc.

O filme é bom, está construído da melhor forma possível - da forma que torna a história (que não é assim tão extraordinária) mais interessante para o público.

Aconselho a todos, principalmente aos meus amigos do Facebook. Que são uns bons 80% dos amigos que tenho, o que diz muito sobre o próprio Facebook. O mais interessante é mesmo confirmar que o inventor da maior rede social do Mundo foi um tipo que... não tem vida social nenhuma!

Classificação: 16

Obrigado malta!

24 comentários em 72 horas deixam qualquer um de peito feito, obviamente. Mas quero aqui deixar claro que o objectivo não era aumentar a minha auto-estima, como algumas almas fizeram questão de salientar... pensem neste blog como um daqueles concertos gigantescos dos U2 para milhares de pessoas... há sempre aquela altura em que o vocalista lança o apelo: "IS THERE ANYBODY OUT THERE???"

Claro que está aí alguém que eu bem sei. Primeiro porque vos conheço, segundo porque tenho uma coisinha aqui em baixo à direita que conta as visitas e que até me diz quantas tenho por dia e tudo, terceiro porque quando estou convosco pessoalmente faço questão de vos "obrigar" a fazerem uma visitinha aqui ao estaminé.

A ideia é a mesma do concerto, de vos espicaçar num momento mais morto, mais calmo, para vos mostrar que, mais importante do que o que escrevo para mim e para as pessoas é o efeito que provoca nas pessoas aquilo que eu escrevo. Estão a ver? Mais ou menos, não? É por aí...

Pronto, um obrigadinho a todos (mesmo para a minha prima 13@, que só está bem a mandar bocas) e siga a dança, que a festa ainda agora começou...

P.S - O 25º comentário ao post anterior é meu...

BLACK-OUT

Só volto a escrever aqui se receber nas próximas 72h pelo menos 10 comentários de 10 pessoas diferentes a este post. Anónimos não contam!

E sim, basta dizer um olá...

É só para saber se vocês ainda andam por aí, que têm estado muito caladinhos.

Caso contrário, arranjo um diário e volto a desabafar à moda do antigamente...

Halloween - O significado

Tem as suas raízes no festival Celta de Samhain (Novo Ano Celta - 31 de Outubro). Os Celtas acreditavam que a fronteira entre o seu mundo e o 'outro mundo' se tornava mais fina no Samhain, o que permitia a todo o tipo de espíritos visitar o mundo dos vivos. Os amigos e familiares eram bem-vindos, enquanto se tentava afugentar os outros, os maus espíritos.

Acredita-se que a necessidade de assustar os maus espíritos levou à utilização de máscaras e fatos próprios. O nome Halloween vem de All-Hallows-Even (Evening) - a noite anterior ao All-Hallows-Day, ou seja, o Dia de Todos os Santos - de Todos os Espíritos.

Fonte: Wikipédia

[Só porque surgiu a discussão no fim-de-semana e fiquei realmente curioso...]

O cantor e o índio

Em plena década de 80, e num dos seus frequentes ataques de romantismo saudosista, Julio Iglesias convidou o seu amigo Willie Nelson, popular cantor de música country, para um dueto de homenagem a todas as mulheres que já haviam amado na vida. O resultado é este:


Em Portugal, Herman José estava no auge do sucesso e não deixava escapar nada. Elaborou com o saudoso Carlos Paião uma canção semelhante, e num dos seus "Hermanias" decide convidar, também ele, um amigo índio (nada mais nada menos que o próprio Carlos Paião) para um dueto de homenagem sentida... um pouco diferente da original! Eis a versão, que nos traz acima de tudo humor e talento em doses generosas:


Gastronomias do Alentejo

Quatro dias e três noites no Alentejo, mais propriamente pela zona de Évora e concelhos vizinhos. Não foi, obviamente, a minha primeira vez por estas paragens, mas a verdade é que já há muito tempo que não passava por lá. Tenho para mim que as zonas de Portugal onde se come melhor são Trás-os-Montes e o Alentejo, e aproveitei para matar saudades. Também tive a sorte de contar com um companheiro que é, como eu, um bom garfo...

Foram vários os restaurantes que visitámos e onde comemos, sem excepção, muito bem. Não vou ser exaustivo na descrição das casas de pasto, mas deixo indicações de alguns locais que garantem qualidade superior. E algumas imagens também, pois claro...

Adega do Alentejano (Sopa de tomate, migas de espargos com entrecosto)
Rua Gabriel V. do Monte Pereita, 21-A Évora

O Beco (Burras [bochechas de porco] grelhadas e o melhor doce conventual da história)
Avenida D. Dinis de Melo e Castro 20 Borba

S. Luis (Ementa divinal, carta de vinhos excelente)
- R. Segeiro 30 7000 Évora

Morense (Secretos de porco preto com molho de coentros)
- R. Nv 79 Mora

O Caçador (Entrecosto e frango grelhados. Bolo de mel e noz)
- R. Saudade 2, Évora

Corda aos Sapatos


Sem escrever há uma semana... A internet aqui em Évora é tão fraquinha, tão fraquinha que não dá mesmo para mais do que isto... Mas a celebração não podia mesmo falhar!

Amazing Grace...

Os Mágicos

Esta notícia vai direitinha para aqueles que achavam que eu ia perder esta oportunidade de falar desta jornada magnífica de Corda aos Sapatos no Fantasy, em contraste com a jornada fraquinha do Benfica...

Uma subida de 11 (!!!) lugares na classificação, a saltar para o terceiro lugar, beneficiando de uma pontuação incrível do jogador que, acreditem ou não, foi o primeiro que escolhi para a equipa: Gareth Bale, o Defesa/Médio/Bicho do Tottenham que fez um hat-trick no terreno do Campeão Europeu!

Os 11 mágicos:
E a classificação actual da Liga Brokiú Fockers:

A luta continua!!!

Pórticos e afins

Estamos ao vosso dispor.

Nós, portugueses, estamos sempre disponíveis para ajudar os pobres, somos assim, são ensinamentos que já vêm dos nossos avós. E quem é mais pobre que o Estado português? Ninguém. Nem tu, nem eu, ninguém! Por isso acatamos tudo, aceitamos o que nos pedem, sempre, sempre mais, porque o Estado é pobrezinho e precisa. Nós, que somos todos ricos e felizes, mais felizes (e ricos de espírito) ficamos quando podemos ajudar. Sim, apitamos um bocadinho nas pontes e fazemos greves e tal, mas é só a brincar. É de alegria.

Ficamos é tristes quando não podemos ajudar. Esta brincadeira toda dos pórticos, das SCUTs e coisas que tais deixa-me deprimido. É demasiada incompetência! para os de Aveiro, Viana, Viseu, Porto, Lisboa, tudo bem... mas como é que a malta de Bragança pode ajudar??? e o povo de Beja? Os que só conduzem diariamente 10 km de estrada nacional para ir trabalhar não contribuem, coitados???

Isto é uma pena. A minha ideia pioneira, à atenção da malta do Governo, é a seguinte: Instalar uma coisinha electrónica com um chipzinho num sítio que eu cá sei no conta-quilómetros de cada viatura, associada à conta bancária do condutor!!! Que tal??? Assim um tipo ia ao café, 2 km de carro, PIMBA!, já estava o pilim a entrar nos cofres...

Outra opção seria junto das rodas das viaturas, assim a malta das bicicletas, dos skates e dos tractores também podia contribuir para ajudar o pobrezinho!!!

Quem tem ideias a sério, quem é, governantes?? Olha... Alguém que me aproveite...!

Uma manhã "normal"

A minha vida nos minutos que vão do toque do despertador até ao sair de casa definitivamente para mais um dia de trabalho é de uma descoordenação incrível. É um non-sense inexplicável, uma sucessão de eventos infelizes que se repetem mesmo que eu me convença vezes sem conta de que não volto a cair nos mesmos erros.

Hoje no caminho para o trabalho tentei decorar mentalmente, enquanto a memória ainda estava fresca, o que mais uma vez me acontecera. É mais ou menos isto:

08:15 - Toca o despertador. Carrego no botão "Repetir"
08:20 - Toca o despertador. Carrego no botão "Repetir"
08:25 - Toca o despertador. Carrego no botão "Repetir"
08:30 - Toca o despertador. O botão "Repetir" já não está activo, carrego no "Parar". Aí sei que tenho que acordar. Sento-me e logo a seguir deito-me "Só mais um bocadinho e não é para dormir, é para programar o dia".
08:31 - Adormeço e durmo mais 15 minutos.
08:46 - Acordo de repente porque sei que já estou atrasado. Dou um salto na cama, enfio mal os pés nos chinelos, agarro-me ao armário para não cair.
08:47 - Nova tentativa de calçar os chinelos, caio na cama outra vez e penso que se alguém visse a figura que estou a fazer era uma vergonha.
08:48 - Pego na toalha, vou à cozinha ligar o esquentador embora saiba perfeitamente que o deixei ligado na véspera para não ter que ir lá de manhã.
08:50 - Banho.
09:00 - Tentativa de fazer a barba. As lâminas estão no quarto, vou buscar.
09:02 - Nova tentativa, a espuma está vazia ("logo à noite deito isto fora!"), tenho que ir buscar outra... ao quarto. Não sei porque ponho estas coisas no quarto. Faço a barba enquanto penso nisso.
09:10 - Regresso ao quarto, com a espuma na mão. Chego lá, olho para a espuma, penso que estou a ficar doido e volto a colocá-la no sítio onde estava. No quarto.
09:11 - Visto a roupa que tinha preparada na véspera. Graças a todos os santinhos, tenho o bom-senso de manter este hábito...
09:13 - Pontapé na perna da cama ao vestir as calças. Atiro-me para cima da cama com as dores.
09:15 - Tento calçar os sapatos sem a ajuda das mãos, agarro-me ao armário para não cair, percebo que tenho que me sentar para me calçar. Claro.
09:16 - Tenho que desligar o carregador do portátil da ficha que inexplicavelmente se situa debaixo da cama. Faço uma ginástica terrível, tiro a ficha à força e com o movimento dou um soco na perna da cama. Atiro-me para cima da cama com as dores.
09:18 - Arrumo o portátil à pressa.
09:20 - Saio de casa, bato com a porta, chamo o elevador.
09:21 - Entro em casa para pôr perfume.
09:22 - Saio de casa, bato com a porta, o elevador já desceu sem mim.
09:23 - Entro em casa para procurar o telemóvel, deixei-o em qualquer lado. Penso em ligar para ele para saber onde está. Como só tenho um, apercebo-me do ridículo da ideia. Encontro-o na banca da cozinha (???) ou na casa-de-banho.
09:25 - Saio de casa, bato com a porta, chamo o elevador.
09:27 - Saio do prédio e procuro o carro. Penso que durante a noite alguém o tirou do estacionamento onde estava e o pôs noutro. Tinha a certeza que o tinha deixado ali... afinal não.
09:30 - Arranco para o trabalho.

A partir daqui ainda podem acontecer duas situações: Lembro-me que deixei o almoço (que tinha preparado na véspera) no frigorífico ou que deixei o miserável carregador do portátil em cima da cama. Se nenhuma das duas acontecer fico feliz por ter acordado com tanta presença de espírito...

A eterna guerra dos sexos

A frase do fim-de-semana:

"A dificuldade que os homens têm em passar a ferro é semelhante à das mulheres em explicar o que é um fora-de-jogo!"

Uma comparação perfeita. É que as mulheres que percebem de futebol até explicam mais ou menos o que é o fora-de-jogo, mas... falta sempre qualquer coisinha! Tal como o homem mais prendado nas tarefas domésticas deixa sempre um ou dois vincos na camisa... Bela tese, Txe!

[Pensavas que me ia esquecer? Não são cinco copos de vinho, duas geropigas e cerca de 10 minis que me tiram a memória...]

Faz sentido, não faz?

"Sou eu que pago os políticos (...) não vejo razão NENHUMA para o dinheiro do contribuinte ser usado para lhes dar uma vida de luxo!"

Tenho saudades do Paulinho Santos.

Arbitragens e polémicas à parte, o Porto segue como líder incontestável do campeonato quando está disputado 1/5 do mesmo. E o que é que eu acho disso? Nada. Um vazio absoluto. Não me aquece, não me arrefece, não me chateia, não me preocupa. E o que me preocupa é exactamente isto - o não me preocupar.

A rivalidade Benfica/Porto é antiga e atinge proporções incríveis no Norte de Portugal. Como acontece no Sul entre Benfica e Sporting. Nada de novo aqui. O problema é que esta rivalidade tem que ser alimentada, tem que ser terrível, tem que existir aquele ódio de estimação e tenho sentido a falta essa componente. Noto que tenho vindo a sentir a mesma indiferença pelos resultados do Porto que desde sempre nutro pelos do Sporting. Terá a ver com o facto de o Benfica ser Campeão Nacional? É possível. Mas eu avanço com uma teoria diferente.

O Falcão é um tipo simpático, pá!; O Hulk quando calha bem é daqueles jogadores que qualquer adepto de futebol gosta de ver jogar. O Fernando é sossegado ao estilo de um Obama, o Rolando raramente aleija alguém, o Helton toca guitarra e o Moutinho só chateia o Sporting.

Onde é que está o Jorge Costa??? Que é feito de um Fernando Couto, para quem canela era até ao pescoço (Ah, que saudades de um Fernando Couto!!!)? Um André, um Jaime Magalhães, o saudosíssimo Paulinho Santos??? As vendas de Bruno Alves e Raul Meireles foram um rude golpe no coração dos mais acérrimos benfiquistas - Foram o canto do cisne de um Porto que já não nos provoca aquela raiva profunda, que carece daquele espírito de batalha que tão bem caracterizava os jogadores dos seus plantéis!

Agora quando muito temos um Fucile e um Rodriguez que mandam umas bocas mas não têm tido os minutos e a qualidade futebolística necessários para provocar mossa... No último Benfica-Porto foi o Benfica que teve que assumir a despesa da pancadaria, que bateu, agrediu, pisou. Do lado do Porto, nada. Nem uma cotoveladazinha ao Cardozo, que está sempre ali a jeito. Onde é que isto vai parar?

O Porto está-se a tornar uma equipa simpática, como o Sporting sempre foi para os benfiquistas do Norte. Penso que urge recuperar a atenção, a raiva, o "ódio" desta massa de adeptos, e não é com títulos que se vai conseguir o objectivo.

Vejam lá isso, que a gente já tem saudades!

Janta

É a música que não me sai da cabeça hoje.

Um dueto do conceituado Marcelo Camelo com a mais recente revelação brasileira, Mallu Magalhães.

O namoro entre os dois está a dar que falar, pois pelos vistos ele tem sensivelmente o dobro da idade dela (32/16). No entanto, e como ninguém tem nada a ver com a vida dos senhores, o que interessa é mesmo a música, que é mesmo "muito bacana". E se eles encaixarem tão bem como o fazem as respectivas vozes, temos relação para durar de certeza...

Não sei se me faço entender...*


*... e também não sei porque é que não fui para artes. Não faço ideia!

Toy Story

Apesar de ser fã dos filmes da Pixar, nunca me tinha interessado particularmente por Toy Story 1 e 2. Pareciam-me filmes demasiado infantis, com temas pouco interessantes.

A onda de elogios e críticas estrondosas ao novíssimo Toy Story 3 fizeram-me perceber que tinha mesmo que o ver. Mas ver o Toy Story 3 sem conhecer os anteriores, para mim, não fazia qualquer sentido! Assim decidi dedicar-me a uma maratona de brinquedos e brincadeiras.

É fascinante. A dimensão humana que a Pixar consegue transmitir a carros, peixes, monstros, bonecos é (confirma-se mais uma vez) incrível e tem o condão de tocar profundamente o espectador. Toy Story 1 e 2 são brilhantes, mágicos, divertidos, profundos. Toy Story 3, inesperadamente, consegue ser ainda melhor. É mais negro, mais maduro, mais crescido, tal como os fãs que acompanharam a trilogia.

Vale mesmo a pena. Mesmo...

Classificação da trilogia: 18

Baby steps

Ao fim da tarde ela espevitou, finalmente. Estava especialmente animada e irrequieta a falar, a brincar, a atirar os bonecos todos ao ar. Era o momento ideal, tinha que ser!

"Ana, anda cá. Em pé, vá. Estás a ver a Carla ali no sofá? Vai lá, vai ter com ela, rápido!".

Risos, muitos risos. Um pequeno empurrão e aí vai ela! Um, dois, três, quatro passos e atira-se para o colo da Carla perdida de riso, como se já soubesse andar sozinha há que tempos, como se tivesse estado a gozar connosco este tempo todo! Depois voltou para mim, um, dois três passos e várias gargalhadas até se agarrar com força à minha perna, a balançar com o peso do rabo. Na terceira viagem ia caindo, assustou-se e já não lhe apeteceu mais.

Foram os primeiros passos a solo da minha afilhada, no passado Domingo. Um momento tão especial, tão grande, tão intenso que faltam as palavras para o descrever. Se há momentos que ficam para sempre, este é sem dúvida um deles...
-
[...e nunca a etiqueta "Passos dos Outros" encaixou tão bem...]

Ainda ontem era uma criança...


Está crescido, o meu menino! Já teve direito a férias no Algarve e tudo... Como prémio vai ter direito a um óleo novo para respirar melhor. É justo, que ele porta-se bem...

Apitos

- "(...) mas a verdade é que o Olegário no Mundial esteve bem!"

- "Sim, ele no estrangeiro apita de uma maneira e em Portugal apita de outra..."

- "Isso é porque no estrangeiro ele apita em inglês, PRIII!"

- "Então não é PRIII, É PRYYY!"


[Esta empresa é só rir...]

These are the Champions...

Começou o Fantasy das Champions! Vamos lá tirar as teimas?

Quero ver quem alinha desta vez, e espero que o vencedor do nosso Fantasy do Mundial não se esconda agora...!

A liga "BRÓKIU FOCKERS" está à vossa espera. Vemo-nos por lá!

[Código de acesso à liga: 22757-5415 ]

O dia mais feliz

Hoje foi inesquecível.

Hoje recebi, por coincidência, duas notícias extraordinárias e semelhantes. Hoje soube que aquela doença que é um monstro cego, aleatório, arrogante e cruel levou não um, mas dois fortes socos no estômago. A guerra nunca está terminada, mas a principal batalha, essa, foi conquistada com muita força, coragem, sorte e acima de tudo, fé.

Hoje chorei de alegria, duas vezes. A vitória deles é a minha vitória, a nossa vitória. Hoje a vida parece um bocadinho mais justa, mais lógica, mais agradável.

Hoje sinto-me realmente feliz!!!

A ocasião faz o ladrão

Estou maravilhado. Só hoje já descobri como se monta e arranja uma correia de estores (ou persianas) e como se faz para descolar na perfeição papel da parede. Tudo isto enquanto punha ao lume umas almôndegas com arroz de cenoura e alcaparras.

Afinal até tenho jeitinho. Quando se precisa, que remédio...

O novo vício

Mais do que um prazer, um vício! Descobri pela primeira vez alcaparras no supermercado. Não que andasse à procura, mas calhou. E se é verdade que eu já pedia, sempre que possível, as pizzas com alcaparras nas pizzarias, agora que as tenho em casa verifico que caem bem com tudo. Espectáculo.
E o melhor de tudo é que na net não encontro nada sobre efeitos negativos de comer disto!!

[Mas se calhar convém não abusar...]

De regresso...

O Presidente pediu, e a gente faz-lhe a vontade. Férias em Portugal, pois claro. Matar saudades de umas valentes férias no Algarve, que em trabalho não tem metade da piada e que está bem mais agradável para os turistas portugueses do que estava há uns anos. De Armação de Pêra a Albufeira, passando por Silves, Lagos, Portimão, Vilamoura e Quarteira, foram duas semanas aproveitadas em pleno, as férias ideais.

Com as forças renovadas, 'bora lá trabalhar que há muito para pôr em dia... mas valeu!!!




Os aviões

Já deu para perceber que estou de férias, calculo... férias mesmo, mesmo a sério, com sol, praia, cerveja gelada, petiscos e tudo a que tenho direito! Maravilha...

Vou andando por aqui, mas sem prometer grandes novidade para já.

Por hoje, deixo só aquela que já é a música das férias deste ano, que conheci através da dona Mafalda e que a minha irmã fez o favor de trazer para banda sonora do carro... É mais uma pérola dos Azeitonas, que são enormes. Esta é genial.


Boas férias para mim!!!

CNB

Sempre a inovar, Corda aos Sapatos agora investiu aqui:


Na estreia as escolhas não foram as mais felizes, entrámos com o pé esquerdo sendo derrotados em casa pela margem mínima...

No entanto, e como se sabe, o primeiro milho é para os pardais, e Corda aos Sapatos tem alguns trunfos na manga... a utilizar já na próxima jornada!
[Não perceberam nada disto? Aqui explicam melhor...]

Esta não se pode mesmo falhar!

Vai ser bombástico! Vemo-nos por lá?

Perfeito!

*A minha próxima vida*

Na minha próxima vida, quero viver de trás pra frente.
Começar morto, para despachar logo o assunto.
Depois, acordar num lar de idosos e ir-me sentindo melhor a cada dia que passa.
Ser expulso porque estou demasiado saudável, ir receber a reforma e começar a trabalhar, recebendo logo um relógio de ouro no primeiro dia.
Trabalhar 40 anos, cada vez mais desenvolto e saudável, até ser jovem o suficiente para entrar na faculdade, embebedar-me diariamente e ser bastante promíscuo.
E depois, estar pronto para o secundário e para o primário, antes de me tornar criança e só brincar, sem responsabilidades. Aí torno-me um bébé inocente até nascer.
Por fim, passo nove meses flutuando num "spa" de luxo, com aquecimento central, serviço de quarto à disposição e com um espaço maior por cada dia que passa, e depois - "Voilà!" - desapareço num orgasmo.


Woody Allen

Toda a Verdade II

Fora de tempo pôs-se o sol
e a lua fora de tempo também
fora de tempo nasceram dois
filhos da mesma mãe

Fora de tempo brotaram da terra
flores e espinhos também

fora de tempo ficaram longe
mais longe do que convém


Fora de tempo o que era quente
gelou até matar tudo
se um cantava no silêncio
fora de tempo ouviu-se um grito mudo

O tempo também se engana
nas casas onde mora
o mau tempo que faz dentro
nem sempre é tão bom de fora

Fora de tempo o que era água
teimou em ser areal
fora de tempo já se notava
que um vê bem e o outro mal

Fora de tempo tudo voltou
ao tempo que era atrás
e dentro do tempo um partiu mais cedo
e o outro ficou para amar


(Fora de Tempo - Luis Represas)

[Sem comentários - Cada um tira as suas ilações...Mas eu cá não acredito em coincidências...]

Toda a Verdade

Devo este artigo ao blog desde o primeiro dia. Era suposto ser o segundo artigo da história de Corda aos Sapatos, logo a seguir à apresentação, mas por vários motivos tem sido adiado. O principal é talvez o receio de represálias. Quem viu o filme Teoria da Conspiração, com Mel Gibson e Julia Roberts, sabe que no que respeita a matérias realmente importantes estamos constantemente sob controlo e que quem tem informações privilegiadas está permanentemente em perigo.

Hoje vou falar, porque é um assunto que não posso guardar por muito mais tempo, e apesar de já ter transmitido certas informações “off the record” hoje é o dia de isto vir a público. Com alguns cuidados necessários, claro.

Falo, como já devem ter percebido, de informação privilegiada que tenho sobre um baterista famoso cujo nome em português seria, provavelmente, Filipe Colinas. Vou evitar o nome inglês para não me expor demasiado, embora sabendo os riscos que corro.

Filipe Colinas tem possivelmente a pior voz de todos os tempos, daí ter começado desde cedo a tocar bateria. Tornou-se um baterista de eleição e renome, disso não há dúvidas, mas Colinas queria mais. Queria o Mundo.

Em 1975 o fabuloso vocalista da banda de Colinas (em português chamar-se-ia... Pedro Gabriel) deixou misteriosamente a banda alegando questões pessoais. Que até hoje nunca foram apuradas... e Colinas tornou-se o vocalista. O que não deixa de ser curioso dado que ele, como já referi, sempre foi dono de uma excelente voz para escrever à máquina. Colinas cortou pela raiz, misteriosamente, as hipóteses de ser contratado um novo vocalista para a banda. Estranho, no mínimo.

Mais tarde Filipe Colinas decide enveredar pela carreira a solo, mas sabia de antemão que sendo um péssimo cantor não poderia alcançar sozinho o sucesso que a banda garantia. É por esta altura que os cientistas de Colinas desenvolvem o chip. Um estranho chip que, uma vez instalado no software de mistura de músicas faz com que quem ouve se sinta deliciado e viciado naquele som! Ora, se este chip implementado em álbuns de um cantor normal o transforma no maior cantor do Mundo, num álbum do Colinas faz dele um cantor normal, o que para ele é absolutamente milagroso, ainda mais tendo em conta o seu “atractivo” aspecto físico. E Colinas tornou-se num ícone da sua geração. Hoje, se eu vos perguntar quantas músicas dele conhecem, talvez me apontem duas, três. Mas garanto que se ouvirem um “Best Of” conhecem, e até cantam, as músicas TODAS! Pensem nisto.

Quanto à vida pessoal de Filipe Colinas, poucos sabem (e a Internet, obviamente, não esclarece) que ele é filho de mãe portuguesa e pai inglês. Após o nascimento de Colinas deu-se a separação e a mãe voltou para Portugal onde voltou a casar e a ter um filho. Filho esse que, por vocação também se tornou “cantor” e por laços familiares descobriu o incrível chip do irmão. A chantagem que se seguiu levou a que Colinas tivesse que criar uma adaptação do chip para o irmão, com menos alcance mas com igual capacidade de persuasão do ouvinte. Será coincidência a proximidade óbvia entre os apelidos Colinas e Represas???

Filipe Colinas já me tem debaixo de olho há anos, bem o sei. A forma de eu estar avisado é simples: A cada passo que dou, em cada sala que entro, cada rádio que sintonizo toca uma música dele. Nas casas-de-banho públicas, nos gabinetes de prova de roupa, nos intervalos do cinema. Ele faz questão de me avisar que está sempre a ver, a controlar. E sei que um dia destes me vai querer apanhar, não só porque eu sei o que mais ninguém sabe – mas principalmente para fazer testes comigo e tentar perceber porque é que o chip não funciona em mim...

You Picked Me

Não é nova, mas tropecei nesta música duas vezes em dois dias, o que deve ter um significado qualquer. Não conhecia. E gosto!!!

Inception

Cinco meses depois, voltei ao cinema!!! O ciclo infernal que termina na cerimónia anual dos Oscars afasta-me inevitavelmente das salas de cinema por um largo período de tempo, é assim todos os anos. É a pausa para balanço.

Mas voltei, dizia eu, a uma sala de cinema movido por uma motivação fortíssima: O novo filme de Christopher Nolan, Inception. Era daqueles filmes que eu tinha muito medo, por dois motivos: primeiro, porque Nolan nos tem habituado a um nível de cinema tão elevado que estamos sempre com receio que ele qualquer dia dê um trambolhão daqueles; segundo, porque a crítica tem sido unânime e os cinéfilos espalhados por esse Mundo fora estão eufóricos. Ora, estava com medo que a minha expectativa fosse demasiado elevada, como normalmente acontece nestes casos.

Felizmente, não fiquei desiludido. Inception é daqueles filmes que nos fazem pensar que afinal ainda não está tudo inventado no cinema e que ainda podemos ser surpreendidos positivamente.

É um filme extremamente inteligente, é uma montanha-russa de emoções, de acção e, principalmente de informação. Por vezes dá vontade de "pôr no pause" para assimilar a quantidade de informação que nos é fornecida. Nolan está melhor do que nunca: consegue atingir o brilhantismo intelectual de Memento com a cinematografia fantástica e o ritmo de The Dark Knight. É um ritmo infernal, é um filme absolutamente genial e eu estou completamente rendido.

Uma palavra para o elenco que conta com sete(!!!) actores já nomeados para Oscars e no qual brilham a grande altura o cada vez mais maduro Leo DiCaprio, a jovem estrela Ellen Page e a lindíssima Marion Cotillard.

Tenho que ver Inception mais vezes, claro. E é certo que vou apanhar mais pormenores que me foram escapando. Mas não tenham dúvidas: é uma experiência de cinema que ninguém deveria perder.

Vão ao cinema. Vão ver Inception. Urgentemente.

Classificação: 19

O analfabeto

Miguel Sousa Tavares, "A BOLA", 20/07/10:

"Já agora e desconhecendo se ainda vou a tempo, gostaria de exprimir um desejo de portista: que a SAD não compre o tal Walter, que tem alimentado um longo romance nestes dias de férias. E por várias razões: porque não gosto do nome nem da cara dele; porque tão jovem ainda, já arrasta uma fama de indisciplinado e regateiro nas negociações; e porque embora eu entenda que um miúdo nascido miserável numa favela brasileira não tenha tido condições para ir à Escola, já não entendo nem aceito que, aos 20 (vinte) anos de idade, já rico e futebolista - isto é, com um horário de trabalho de três horas diárias - não tenha arranjado tempo para aprender a ler e a escrever.
E, no futebol de hoje, um jogador analfabeto é uma menos-valia, em todos os aspectos. Mas, este meu desejo já deverá estar desajustado: naquela casa há uma adição por compras verdadeiramente fatal."


O tal Walter assinou hoje, finalmente, pelo Porto.

A minha dúvida é a seguinte: O homem foi regateiro e indisciplinado nas negociações e finalmente assinou de cruz ou demorou este tempo todo para aprender a escrever o nome???

A música do Sardinha

E, de repente, sem nada que o justifique, lembrei-me das noites do Sardinha Biba. E fiquei com saudades dos meus 20 anos, da altura em que a noite de Braga começava no Gota d'Água, seguia no B.A. e acabava invariavelmente no Sardinha. O final da noite era sempre sinalizado com a música própria de lá, e a malta dizia aos que queriam ir embora mais cedo:

"Nem penses, hoje só vou quando der a música do Sardinha!!"

É esta (e olhem que até nem é nada má...):

Bons tempos...

Só para que conste

Vontade de escrever (100%) Vs inspiração (0%)

Deprimente.

Premonição

Por uma vez, a tradução para português (o título original era Edge of Darkness) acertou em cheio... o tradutor devia jogar no Euromilhões!

Quem não sabe do que falo, clique aqui...

Hey Spain:

"Thanks for getting World Cup for Portugal.

According to the 1494 Treaty of Tordesilhas , everything conquered by Spain, East of 46 degree Meridian is property of Portugal.

Can you please fedex the Cup ? "

A nossa final

Corda aos Sapatos ganhou a final!!! Foi renhida com os Libertinos, mas foi uma vitória justa e saborosa.
No que respeita à classificação geral, Seu Carlos venceu mesmo sem surpresas. Parabéns para ele, que sem dúvida soube aguentar a pressão dos adversários. Libertinos e Corda aos Sapatos, os finalistas, ocupam os restantes lugares do pódio.

A classificação final:
(Vemo-nos daqui a dois meses no Fantasy da Champions, malta?)

Eles adoram-nos...

...e nós a eles. O que não gostamos muito é de alguns de nós termos o azar de as nossas primas decidirem casar logo no dia em que eles vêm cá. Mas paciência... A avaliar pelo discurso de Eddie Vedder, não foi de certeza a última vez que nos visitaram!

Não é só com os Pearl Jam que isto acontece. A verdade é que a língua portuguesa, sendo uma das mais difíceis de aprender, é também talvez a que melhor se adapta às pronúncias de línguas estrangeiras, uma característica que há-de ter uma explicação linguística qualquer. É comum os portugueses terem jeito para se adaptar ao espanhol, ao inglês, ao francês, etc., com uma facilidade que os outros normalmente não têm. Assim, é normal que os cantores estrangeiros fiquem surpreendidos e agradados com o público português que tão bem entoa os refrões das suas músicas.

Devia ser um orgulho, não devia?

A euforia de um campeão

Eu até estava pela Holanda, que nunca tem sorte nenhuma (três finais de Mundiais perdidas...) e que é a selecção que mais me agrada ver jogar. Mas há que reconhecer a qualidade do jogo do Barcel.. perdão, da Espanha, especialmente com os fabulosos Xavi e Iniesta em forma.

Mas Casillas foi o maior. Não só pela grande exibição no campo como também... fora dele, no final, quando entrevistado pela namorada Sara Carbonero. Ora vejam:



Muy bien, Iker!!!

E o nosso Fantasy?

Está ao rubro. Seu Carlos parece ter a vitória assegurada na classificação e comprova que é mesmo o Jorge Jesus do Fantasy Football. À entrada para a final garante uns comfortáveis 21 pontos de vantagem sobre os Libertinos de jaf2004. Corda aos Sapatos continua em crescendo de forma, tendo obtido mais uma vez a melhor classificação da ronda. Mas a distância de 33 pontos para o primeiro lugar é demasiado grande...

Há, no entanto, motivos para sorrir: No mata-mata Corda aos Sapatos tem estado imbatível tendo enviado os GP's da Malyanah para a disputa do 3º e 4º lugar com o Olympic Sra da Hora.
A final, que promete e de que maneira, está reservada para Corda aos Sapatos e Libertinos 2010...

Espetadas

Queria só deixar uma mensagem ao tipo que, um dia, achou que seria uma ideia giríssima começar a pôr nas espetadas, em vez daquela cebola fixe, rectângulos de gordura branca:

Nós não somos parvos, tá? Achas que esse truque barato engana alguém? Queremos a cebola de volta!!!
Desmancha-prazeres...

Obrigado a todos!

Quem me conhece bem sabe que tenho um fraquinho por números, por listas, por contas, por estatística e coisas que tais. Dado que pela primeira vez passei um dia de aniversário praticamente sozinho, comecei quase sem querer a contar (e apontar) quem, por telefone ou facebook, me ia dando os parabéns. Não, não foi para ver quem se esqueceu! Foi mesmo para não me esquecer de quem se lembrou... Já explico.

Quando comecei a pensar nisso, anotei mentalmente que deveria ser contactado por umas 50 pessoas, talvez 60. Parecia uma marca interessante. Agora que já passaram 24 h (aquelas que se dão sempre a mais para os atrasados) acabo de contar 114.

114.

É impressionante a quantidade de gente que se lembrou de mim. Mais impressionante ainda se tivermos em conta que eu não me lembrei dos aniversários da maioria, porque é mesmo raro lembrar-me...

Assim, e perante esta inegável demonstração de consideração, decidi retribuir: Comecei ontem a levar a cabo a árdua tarefa de apontar o dia de aniversário de TODOS os que me deram os parabéns e comprometo-me, desde já, a não me esquecer de nenhum nos próximos 365 dias (sim, começou hoje...). Vou dar os parabéns, no dia certo, a 114 pessoas (mais uma ou duas que se esqueceram de mos dar mas que também merecem) durante este ano.
Vai uma aposta?


[Já agora... alguém sabe um truque infalível para eu cumprir esta promessa? É que a memória não serve, e o facebook só conhece algumas pessoas...]

Sei bem quem gostava de ter umas destas...

Uma das minhas prendas, oferecida por quem me conhece melhor:
Sim, à partida são de futsal, mas giras como são [e ainda por cima as minhas são castanhas] vão servir para tudo e mais alguma coisa...

Que grande...


Man on the Moon

Tarde, muito tarde, mas nunca é tarde demais para estas descobertas. Neste caso falo de Andy Kaufman, personagem que me passou ao lado este tempo todo e que é, no mínimo, diferente.

Kaufman é (foi) alguém que vale a pena conhecer. Pelo seu percurso, pela sua visão "diferente" do Mundo, pela sua noção avançada do entertenimento puro, mais do que da simples comédia e do "fazer rir". Não era um comediante, mas alguém que "canta-e-dança", como ele dizia. Pretendia levar a audiência não só a rir, mas a sentir algo diferente, experiências novas, o que levava não raras vezes a que fosse mal interpretado.

Tenho há muito tempo o filme "Man on the Moon", que relata a vida de Andy Kaufman num excelente desempenho de Jim Carrey, mas nunca tinha tido aquela vontade de o ver. Foi há dias, na empresa, que um colega me mostrou a primeira intervenção de Kaufman no Saturday Night Live a "interpretar" Mighty Mouse e me levou a perceber que tinha imediatamente de ver o filme.

O filme, embora bom, não é extraordinário. Mas Kaufman era. O simples facto de muitos não terem acreditado, durante anos, que ele havia morrido de cancro no pulmão diz muito do que já se podia esperar das loucuras de Andy Kaufman. Basicamente tudo....


Comer porque tem que ser

Isto pode ser pura ignorância, talvez esta solução até já exista. Mas não posso deixar de expor a minha ideia sobre a alimentação.

Sou uma daquelas pessoas que gostam de comer, ponto. Não de comer muito, mas de comer bem e de provar petiscos novos. Carrego uns quilos a mais, pois claro, porque há uns que comem como se não houvesse amanhã e ficam na mesma e há os outros como eu, que têm tendência a engordar se não tomarem as devidas precauções.

O problema podia ser esse. Mas nem é. Quer dizer, é parte do problema, mas há outra parte que está relacionada com o tempo que se perde por causa das refeições.

A verdade é que "perdemos" tempo a comer, e perdemos tempo a cozinhar. E a lavar a loiça, e a fazer compras na mercearia. O que eu acho é que não precisávamos de comer tantas vezes, pois frequentemente acabamos por comer mal por optarmos por algo mais rápido, mais imediato e (normalmente) menos saudável.

E eu pergunto: Se já há comprimidos para tudo e mais alguma coisa, águas que enchem metade do estômago, bolachas que reduzem o apetite, porque é que não poderia haver comprimidos que em vez dessas parvoíces fornecessem as refeições completas, como no caso das refeições dos astronautas? Porque é que não existe um comprimido que tenha X proteínas, Y hidratos e Z vitaminas, por exemplo?

Imaginemos: Se a dose diária recomendada para um adulto é X de cada componente, porque é que não há comprimidos com as componentes nas doses certas, cada um com meia dose diária?
Não, não se trata de deixar de comer porque isso seria parvo - até porque, como já disse, comer é um prazer. Mas grelhar febras e fazer arroz à noite em casa porque tenho fome é mais dever do que prazer! A ideia era cada comprimido ser o equivalente a uma refeição saudável (e não, também não me estou a referir a existirem comprimidos sabor "Arroz de Pato" ou "Bacalhau à Gomes de Sá") e se eu tivesse fome mas não me apetecesse, ao almoço, ir ao restaurante, ou cozinhar, tomava o comprimido. Que ainda por cima, como era equivalente a uma refeição saudável, não fazia mal nenhum. E tinha que saciar o estômago por umas horas, claro...

Basicamente, podia passar uma semana a comer apenas 3 ou 4 vezes, aquelas que valessem a pena (tipo uma ida às francesinhas, ou o franguinho da mamã) e o resto das refeições seriam asseguradas pelo comprimido. Eu acho isto genial - a gente não engordava e tinha muito mais tempo disponível.

Claro que a tendência é associar o termo comprimido a "medicação" ou "dependência", mas pronto... chamemos-lhe antes "refeição comprimida", que tal?

À entrada dos "Oitavos"...

... o nosso Fantasy Football está com este aspecto:

Com a excelente prestação na terceira ronda, o Olympic Sra da Hora passa para a frente na classificação, seguido de muito perto pelos Discípulos do Jesus e pelo Carlos Miguel FC. Corda aos Sapatos arrancou em falso mas obteve a melhor prestação da ronda e vai subindo na tabela!

Calculo que todos estejam a par disto e que por esta altura já tenham feito as substituições (ilimitadas!) para a próxima ronda. O que talvez não tenham reparado é que se verificarem no fundo da página aparece isto:
É verdade, um modo a eliminar a partir de agora a juntar ao modo de classificação regular! Dois objectivos, portanto... Preparados para o mata-mata?

Roubadíssima da Internet

"Em 2006 França e Itália encontraram-se na final do Mundial. Em 2010 encontraram-se no aeroporto."

(E o Mundial continua a surpreender...)

Notas do Mundial

- A goleada fabulosa à Coreia que nos devolveu ao mapa do Mundo do futebol após aquele início a meio gás;

- O pequeno grande prazer de ver a França e a Grécia a voltar para casa à primeira oportunidade;

- As desilusões (Itália, Inglaterra) e as surpresas (Chile, Suíça, Uruguai, Coreia do Sul);

- O pior (o enxame de abelhas em cada jogo) e o melhor (as repetições em super-slow motion);

- A fé numa boa campanha, claro. E com a França e a Grécia fora, será que só falta alguém correr com a Alemanha para sermos campeões do Mundo?

O Génio da Internet

Não é propriamente uma novidade na Internet, mas parece-me ser o melhor e mais interessante do género. É um programa absolutamente viciante que descobre a personagem famosa em que estamos a pensar a partir de algumas respostas. Torna-se muito engraçado pela forma como dá as respostas... Ora experimentem lá enganar o génio, a ver se são capazes... não vale mentir!!!

Akinator, o Génio Da Internet

Quatro acordes

Já sei, já sei, ultimamente só coloco aqui vídeos - mas não posso deixar passar este que a Mariana descobriu. Por ser genial, muito divertido e por confirmar uma teoria antiga que circula lá por casa já há vários anos: Bastam quatro acordes...

Sexo ocasional

Já estava na altura de se falar abertamente de sexo aqui no blog. Mas não é um sexo qualquer, é sexo ocasional. O que é? Hum... bem, aqui os meus amigos explicam:



Pérola do jornalismo descoberta e sugerida por jf.

"Breathing Corpses" ou a crónica de um curso terminado

Para aquele tipo que vive numa caverna no Alasca (o único que ainda não sabe), a Mariana acabou o curso. Yay!!!

É uma grande vitória para ela, pelas dificuldades que passou, pela adaptação ao país, à língua e à cultura e pela capacidade surpreendente (até para a própria) que demonstrou em ultrapassar obstáculos "impossíveis".

O futuro é incerto, que ela não é mais que os outros - nesta fase é sempre tudo incerto. Mas as diferenças entre a miúda que foi comigo a Londres conhecer a cidade há dois anos e a actriz/cantora/dançarina que agora sai do West Thames College são por demais evidentes e ela, pela euforia desmedida que revela, é a primeira a reconhecê-lo.

Mesmo assim, a cena que se segue, do teatro de fim de curso, é surpreendente a todos os níveis! Note-se que a cena deveria ter bolinha no canto superior direito, dado que ela usa e abusa das primeiras palavras que qualquer estrangeiro aprende quando conhece uma nova língua...





Parabéns!!!

Back to work

Devagar, que é para não me começar a chatear logo nos primeiros dias. Hoje é só para responder às dezenas de mails que foram entrando nos últimos 15 dias. E já é bem bom!

Logo jogam os Navegadores. Apesar de tudo, de achar que a história do Nani está muito mal contada, de não acreditar nem um pouquinho no Queiroz, de não concordar com uma série de situações, estou com a Selecção e (principalmente) estou com o melhor do Mundo. E sei que vou sofrer. Mas vamos ganhar - eu acredito!

Fantasy Football!

Está criada a liga vuvuTUGAzelas de Fantasy Football para o Mundial.

Quem quiser aderir só tem que entrar aqui e depois de criar equipa aceder à liga com o código 574148-122200.

Boa sorte aos corajosos!

Raiodeteclado

Estetecladoanda-meairritarumbocadoporquenuncadáosespaçoscomodeveser.Quenervos!!!

The Water Is Wide

Esta tem uma história engraçada: descobri-a por acaso, naquela loucura desenfreada de procurar músicas no eMule, nos meus primeiros passos pelo mundo da Internet. É uma música folk antiga, interpretada aqui pelas Indigo Girls, Jewel e Sarah Maclachlan ao vivo no final dos anos 90.

Já oiço isto há muitos anos, portanto, sem nunca me cansar. A harmonia é incrível, as vozes conjugam na perfeição, os solos de guitarra saíram direitinhos e o final... que final!!!

Enjoy.