Toda a Verdade II

Fora de tempo pôs-se o sol
e a lua fora de tempo também
fora de tempo nasceram dois
filhos da mesma mãe

Fora de tempo brotaram da terra
flores e espinhos também

fora de tempo ficaram longe
mais longe do que convém


Fora de tempo o que era quente
gelou até matar tudo
se um cantava no silêncio
fora de tempo ouviu-se um grito mudo

O tempo também se engana
nas casas onde mora
o mau tempo que faz dentro
nem sempre é tão bom de fora

Fora de tempo o que era água
teimou em ser areal
fora de tempo já se notava
que um vê bem e o outro mal

Fora de tempo tudo voltou
ao tempo que era atrás
e dentro do tempo um partiu mais cedo
e o outro ficou para amar


(Fora de Tempo - Luis Represas)

[Sem comentários - Cada um tira as suas ilações...Mas eu cá não acredito em coincidências...]

4 comentários:

Anónimo disse...

Eu também não.

MJ disse...

Só tu mesmo!!! Pra mim, é fantástico como sabes de cor esta letra...

Varandas disse...

Claro que não sei a letra de cor... mas a Internet sabe. Só não "sabe" o que não se pode saber...

Aline disse...

" A verdade está lá fora".....
ou cá dentro da nossa imaginação ou nas pistas da internet..hehehehe