Changeling - A Troca

Lembro-me claramente: A última vez que senti uma angústia tão profunda numa sala de cinema foi em 2003 quando fui ver Mystic River, também de Clint Eastwood. Changeling é um drama intenso, uma história verídica contada de forma irrepreensivel. E Angelina Jolie é soberba... Que saudades de a ver numa grande interpretação, já que desde o longínquo Vidas Interrompidas a actriz tem embarcado em projectos que preferem realçar as suas qualidades físicas em detrimento das artísticas. Má opção, pois apesar do físico invejável (acho que estamos todos de acordo neste ponto) o talento de Angelina é óbvio –Em Changeling o sofrimento contido daquela mãe que perde um filho está em cada gesto, em cada olhar, em cada linha da sua face, nos gemidos, nos choros, nos gritos. O seu sofrimento torna-se no nosso sofrimento. Aplausos, muitos! Uma nota ainda para a banda sonora original que é o complemento ideal para o tom triste e pesado da narrativa.

O filme parece estar arredado dos grandes prémios do ano, exceptuando a prestação de Angelina Jolie que poderá ser justamente premiada. Estou extremamente curioso para ver se, no ano de todos os realizadores, há obras melhores e mais consistentes do que esta de Clint Eastwood. Para já, tenho as minhas dúvidas...

Classificação: 18 Valores

4 comentários:

RRITA disse...

De facto, o filme está muito bom.
As expressões de Angelina são "soberbas" e concordo plenamente quanto à banda sonora.

Mas há um pequeno pormenor que me ficou atravessado.
Quando o puto que ajudou a cometer os crimes está a identificar os outros miúdos nas fotos aponta Walter e o polícia insiste nessa foto... E não fosse, não ser conveniente para o filme, o puto teria logo contado a parte da história que só surge no final... Contaria que alguns miúdos tinham fugido e contaria qual o desfecho dos seus destinos, não deixando para um pós final de filme essa dúvida insitente...
Bem, mas dando ainda um certo desconto ao puto que poderia não ter contado pelo estado em que se encontrava ou por um outro qualquer motivo... É incompreensível que, quando no final o outro miúdo aparece e é revelada essa parte da história, que deixa tudo em aberto de novo, aquela mãe, que ao longo do filme se dispõe a uma luta notável pela procura do filho, no final apenas recupere a esperança e não procure o tal puto, pelo menos para lhe perguntar o que sabe! Mais uma vez não convém ao desfecho do filme...

no need disse...

Não sei quem é a RRITA mas faz-me lembrar um bocado o Américo: adora contar o desfecho de qualquer filme quando estamos a começar a vê-lo...lol!
Impressionante, no entanto, é constatar que, nestes últimos 4 ou 5 desabafos teus (já não vinha aqui desde o ano passado...)só o do futebol te merece mais do que um comentário! E este país que não vai pr'á frente...!
Aproveito pra dizer que não tenciono ver este filme pq penso que me fará lembrar "A escolha de Sofia" (que me deixou traumatizada, como sabes, durante laaaaaargos anos!)

Anónimo disse...

Ainda que não goste nada de me sentir angustiado, dá mesmo vontade de ver o filme... E sabias que a música de todos os filmes do Clint foi composta por ele próprio?

Anónimo disse...

MELHOR FILME DO ANO!
A historia do futebol e do cinema, um mau actor um bom realizador, Mourinho um pessimo jogador, excelente treinador!
NUNO