Passadeiras

Ando ha quase um mês a pensar neste assunto. Sabia que um dia tinha que falar disto no blog e hoje foi o dia. Porque hoje foi a gota de água.

Primeiro é necessário ter presente que existem dois tipos de passadeiras. As que têm semáforos, que são respeitadas na generalidade dos casos, e as outras. São essas que me fazem confusão. Não percebo a sua existência e reparo diariamente que ninguém as respeita. Ninguém, nem mesmo os próprios peões. Todos os dias vejo gente a atravessar a 20 cm da passadeira. TODOS OS DIAS. Ela está ali, a um passo. Mas as pessoas, quiçá para soltarem o rebelde que há em si, atravessam quase lá, como que a provocar. Não consigo perceber.

Outra: O tipo que pára no passeio, virado para a passadeira. Quer passar? Não quer. Só está ali porque a via é pública e tem o direito de estar ali, virado para a estrada. E a verdade é que tem mesmo, portanto nada a fazer. E tenho que parar, fazer figura de parvo a olhar para o transeunte que está ali só porque está e reiniciar a marcha. Adoro.

Pior de todas: Pelo menos aqui no Porto acontece frequentemente o peão parar na borda do passeio para atravessar, olhando para os carros com ar bem disposto. Quando páro, porque devo parar, o tal transeunte abre um sorriso gracioso e faz sinal para eu passar. Vê-se claramente que é alguém que está de bem com a vida, ainda bem, e que tem tempo de sobra, ainda bem. MAS EU TENHO PRESSA E JÁ ME ATRASEI, POR ISSO FAÇA O FAVOR DE PASSAR DE UMA VEZ POR TODAS!!! E convencê-lo? Que não, que tem tempo, vê-se que só vai atravessar quando não existir nenhum veículo num raio de quinhentos metros...

E hoje, a velhota que obriguei literalmente a passar na passadeira porque me fez parar, percorreu o caminho de um lado ao outro da estrada a preguejar e a chamar-me todos os nomes. E eu não entendo isto.

A cereja no topo do bolo é a fantástica obra de arte rodoviária que construíram à entrada da minha rua. Reparem:
Não vale a pena sequer tentar entender que figura geométrica é esta. A questão é que esta malta das obras está do lado dos peões nisto de desrespeitar as passadeiras – Se passa alguém com carrinho de bebé ou cadeira de rodas, por exemplo, vai preferir passar AO LADO da passadeira, pois o raio da passadeira tem degrau - basta reparar no indivíduo da imagem. A 20cm da passadeira. Provocador.

Eu proponho choques eléctricos para quem pisar a estrada havendo uma passadeira a menos de 50 metros e para quem ficar parado na borda de uma passadeira por mais de 1 minuto. Que tal?

7 comentários:

Mariana disse...

Oh pah, como condutora, odeio passadeiras, odeio ter de parar (principalmente se for a subir) pas pessoas passarem e n sei o q...

Como transeunte (sempre gostei de ser isto :P)sou completamente absurda, é verdade! LOL. Isto pq primeiro eu mtas vezes passo a correr no meio da estrada, perto ou não de uma passadeira sem olhar para os lados (aprendi em londres pq me engano sempre no lado para q tenho de olhar :P) e depois, o mais estúpido é q eu paro na borda da passadeira, mesmo qd um carro ta a uma distância medonha da passadeira, e espero q ele chegue, pare para eu passar. Não faço por mal, juro. So me apercebo qd ja fui absurda pq podia mt bem ter passado e ele escusava de parar, mas pra mim a passadeira existe para os carros pararem e só se pararem é q eu posso passar. Ou seja, é mt melhor passar fora da passadeira a correr e rezar pa q corra bem :)

Enfim... hj isto ta complicado, mas percebeste, acho eu :P

Qt à imagem... é ridiculo, sim!

Beijo*

Gustavo disse...

Ganda post!!

Finalmente algo sobre passadeiras, o ensaio que faltava na blogosfera nacional!

Varandas sempre na vanguarda...

;)

PS: Ja agora, que tal tirares algumas ilaçoes sobre a decadencia da menina que te mando no link seguinte?? Isto é um video com alguns anos, como se NOTA, em que ela ainda nao parecia morta sem ter recebido o aviso em casa...

http://www.youtube.com/watch?v=RfBNBeVbOds

Abraço

Anónimo disse...

Muito bem! Gostei da forma como trataste o tema. É mesmo isso! Há que rever o assunto com urgência.

MJ disse...

1º Acho extraordinário que haja montes de gente a fazer o que a mariana faz: esperar que o carro chegue perto para, então, atravessar. Porque, de facto, há imensa gente a fazê-lo! Inexplicável!(Não estás só, Mariana!)

2º Sinto o mesmo que tu, mas qd tb eu tou de bem com a vida, adoro teimar e não ceder (sempre cheia de sorrisos, claro!).

3º E URGENTE! envia essa foto rapidamente para o Nós por Cá, SIC que vai fazer furor.

E, olha, vai-te divertindo com estas cenas diárias dos problemas de trânsito, e não te irrites.Para isso, acho que, na próxima vez, páras o carro, sais e carregas os sacos à velhota.. Isso, sim, era uma BA completa!

MJ disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Aline disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Aline disse...

hehehe...Em defesa aos peões (grupo que faço parte aí no Porto) me anima quando percebo bons motoristas que já vão diminuindo a velocidade para que os transeuntes pissam na tal "passadeira", porém confesso que me assuto a cada passagem ,pois, que muitos chegam acelerados como se fossem marcar strike com o pobre peão,neste caso não peão, mas pino mesmo!!!Pior se for Mercedes dá me a impressão que o carro já tem mira pra acertar em cheio o peão..hehehe
A questão de tão polêmica obra que acompanhei dia a dia tal fenomêno de construçãqo, visto que a "obra"foi concluida em 4 semanas!!! Pude observar o quão são unidos os trabalhadores ...um tirava uma pedra e outros dois olhavam apoiados em suas pá, ou mais meiga cena ainda foi a da colocação das pedras do calcamento...cada sujeito na ponta ao chegar ao meio e provável fim entrou um terceiro sujeito , lá estavam os 3 apertados e ridiculamente postos....minha diversão diária foi esta construção que até hoje não sei nomeá-lo , cabe salientar que além de tudo está erroneamente colocado em duas esquinas o que tira toda a visão dos motoristas...afff parei, pois este dá uma tese !!!