Os cheiros de Portugal

O nosso País tem cheiros. O Algarve cheira sempre a Algarve, o Alentejo a Alentejo, Trás-os-Montes cheira sempre ao mesmo.

Os entendidos dirão que os cheiros se devem às estações do ano, às colheitas, às vindimas, aos campos, à poluição, às flores. Eu só sei o que cheiro.

Na varanda do quarto do hotel de Mora, no Alentejo, inspiro profundamente e lembro-me que esta foi uma das primeiras terras que visitei sozinho no âmbito do meu trabalho. Foi em Outubro de 2003, já lá vão quase dez anos.

O hotel em que estou ainda não existia, nem parte da estrada que ontem fiz para cá chegar. O homem que sou hoje também era ainda uma miragem nessa altura. Era apenas um miúdo, recém-licenciado, a dar os primeiros passos incertos numa carreira com que nunca tinha sonhado sequer e na qual não depositava grandes expectativas. Os meus sonhos eram outros, não melhores nem piores, diferentes. Na altura emigrar era um possibilidade quase absurda para um licenciado, austeridade era uma palavra no dicionário e Troika era só algo em russo. Era tudo tão diferente.

Mas o cheiro, esse, é exactamente o mesmo: É o cheiro de Mora, no Alentejo.

3 comentários:

Toliberal Calhelha disse...

Muito boa esta tua reflexão. Gostei.

LP disse...

Bonito!

RRITA disse...

tão verdade. tudo :)