30.000

Eh pá, que número fantástico! Mais uma vez...obrigado!

12 comentários:

continuando assim... disse...

convite :

estamos perto do final... se final houver.
o capítulo 18, é o último capítulo do livro
quem já leu o "Continuando assim...", sabe como termina o livro.
A todos vocês que têm andado por aqui pacientemente , lanço o desafio prometido .
Antes de publicar o último capítulo , gostava que me dissessem como gostariam de terminar esta história de Alice e André.
Podem publicar os "vossos finais" nos comentários ou mandar directamente para o mail
queirozteresam@gmail.com
Irei postar aqui todos os finais possíveis , todos os "vossos finais" :)
Estou quase certa que algum de vós encontra o final perfeito.
está lançado o desafio, para já espero as vossas respostas
um grande beijo a todos !!

bj
teresa

Varandas disse...

???

Alexandre disse...

Que venham mais trinta mil ;)

Francisco Gonçalves disse...

O último capítulo deveria ser assim na minha modesta opinião:

Depois da chegada do André, regressado da guerra, após 5 anos ausente, este deveria apanhar o comboio e viajar imediatamente para a sua Terra no interior. Mal chegasse iria logo ter com a sua amada Alice que viveu estes 5 anos em sofrida solidão. seria um re-encontro emotivo com muitas lágrimas em que ele estaria extremamente feliz por estar novamente com o amor da sua vida. depois de uns instantes intensos de muitos abraços e amassos, André com as lágrimas nos olhos virar-se-ia para Alice e entre soluços diria:
- Estou de regresso meu amor, como vai ser a nossa vida daqui para a frente?
Alice ficava em silêncio durante 5 segundos e de forma fria dizia:
- Vai ser igual, vou CONTINUANDO ASSIM... só... quero o divórcio! The end

Peço desculpa por alguma incongruência que possa estar implicita no meu final, mas sinceramente não li o "Continuando assim..."

Francisco Gonçalves disse...

loool

13@ disse...

30000 clicks de pessoas insanamente esperando um post sobre mim...

Varandas disse...

AHAHAHAH... Francisco, tens que pensar seriamente em fazer carreira na escrita romântica... :D Está muito bom, aposto que a senhora terá o teu final em consideração!

13@, um dia destes...pode ser que tenhas sorte...

Anónimo disse...

Caro Varandas,

espero que não te importes, mas achei que seria melhor escrever por aqui do que te mandar uma mensagem.

Em relação ao Shutter Island (quem não viu o filme é melhor não ler o resto do comentário!) tenho-te a dizer o seguinte:

Assim que o filme acabou fiquei com a sensação de que a história podia ter dois finais:

A) Ele entra como detective, nunca acredita na história que lhe tão a fazer acreditar e, percebendo que não tem maneira de sair da ilha, manda aquela boca ao Chuck para arrumarem de vez com ele.

B)Ele já era, de facto, paciente da instituição, tem aquelas alucinações todas, com a mulher e os filhos, que afinal são verdadeiras e no fim manda também aquela boca ao Chuck para conseguir a tal cirurgia.

Já vi o filme há alguns dias mas há pormenores, que já não me lembro, que me ajudam a confirmar estas duas teorias.

Mas se durante quase todo o filme nos vai sendo contada a hipótesse A e tu com apenas 25 minutos adivinhas a hipótesse B não posso fazer mais do que te tirar o chapéu. Eu nunca lá teria chegado...

Mas como te disse, em minha opinião, acho que nenhuma das hipótesses é dada como certa, ficando assim ao critério do espectador, tal como no livro de onde o filme é baseado.

Espero que tenhas gostado, pelo menos tanto como eu, pois já se passaram não sei quanto dias e ainda hoje tou a pensar naquilo!

Com amizade,

Nica.

Francisco Gonçalves disse...

Shutter Island????

Mau, não era "Continuando assim"???

Mesmo assim acho que apesar da boca ao Chuck eles se deviam divorciar!!!

lol

Varandas disse...

Caro anónimo Nica:

=MAIS UM COMENTÁRIO EXCLUSIVO PARA QUEM VIU O SHUTTER ISLAND!=

Tenho-te a dizer que também pensei bastante no filme durante o dia mas pelos motivos contrários aos que esperava. Passo a explicar: Sem falsas modéstias, anos e anos de Sextos Sentidos, Fight Clubs, Sevens e muito Kaufman dão calo a um tipo para já ir preparado para brincadeiras destas. Assim sendo, torci logo o nariz pela forma como o filme começa e depois pelos indícios seguintes vi logo o que se estava a passar.

O problema é que se este se tratasse de um qualquer filme de série B nem pensava mais no assunto... tratando-se de Scorcese/Di Caprio, que nos trouxeram grandes obras nestes últimos anos, dá para desconfiar! A hipótese B, que foi óbvia e evidente para mim durante todo o filme, de TÃO óbvia dá para desconfiar... há demasiadas pistas! E aí surge a tal hipótese A, que é efectivamente mais rebuscada, que estimula mais o raciocínio, mas que (sinceramente) não me convence. O filme passa-se todo na mente do moço, a cena da tempestade no cemitério é claramente um momento de psiquiatra/paciente, provavelmente até se passa mesmo no consultório e não ali... Os flashbacks, os números, as tonturas, o CORTE DE CABELO dele, é tudo coisa de gente doida...

Assim sendo, e na minha opinião... o filme é fraquinho. Apenas porque me parece que eu estava certo desde o início na hipótese B e não há mais do que isso.

PS. - Acho belíssima esta tertúlia cinematográfica que estamos a desenvolver aqui "às escondidas"! :)

PS2. - Talvez o divórcio não seja a única opção, Francisco. O Chuck afinal até é psiquiatra e pode dar uma ajudinha, terapia de casal... :D

MJ disse...

SUFOOOOCO! Alguém me explica que comentários são estes que ando aqui a ler?????

Anónimo disse...

Só para acabar, deixa-me dizer-te que de certeza que não tenho a mesma tarimba que tu neste tipo de filmes, até porque não é um género que aprecie muito e daí talvez ter achado o filme tão bom e ter ficado este tempo todo a pensar no filme.

Foi dos poucos filmes que fui ver ao cinema sem fazer a mínima ideia do que se tratava, confiando que mais uma vez a dupla Scorcese/Di Caprio não me iria deixar ficar mal. E continuo a dizer que não deixou.

O que eu acho, ao contrário de ti, penso, é que no filme são dadas tantas pistas para a hipótesse B como para a A. Tanto que, se no final do filme tivesse que escolher uma eu diria a hipótesse A.

Só por curisosidade fui ver a net o que é que se dizia disto e pelos vistos o final fica mesmo ao critério do espectador:

The obvious answer would be that he realized he was insane all along and realized
that he was a murderer, so he pretended that he relapsed at the end when he really
didnt so he could get the surgergy. However, throughout the movie so many clues lead
to the conclusion that the island got the best of him.
The obvious answer would be that he realized he was insane all along and realized
that he was a murderer. so he pretended that he relapsed at the end when he really
didnt so he could get the surgergy. however, throughout the movie so many clues lead
to the conclusion that the island got the best of him.


No entanto, e pelo caminho encontrei também muita gente desiludida com o filme, tal como tu.

Bem, pelo menos acho que já percebeste a minha histeria toda sobre o filme quando chegaste a Lisboa.

Agora vou ali brincar à roleta da converseta!

Com amizade,

Nica.