O duelo de ontem à noite

Cidade Invicta, cerca das 22h. Concorrência apertadíssima entre duas grandes senhoras da actualidade musical - no Coliseu estava uma jovem cantora de country norte-americana que tem vindo a contar (demasiadas vezes, é certo) nas rádios portuguesas a sua história, enquanto no recinto da queima marcava presença uma lisboeta de meia-idade "solteira de amores e casada com desamores" dona de dois gatos e um peixe vermelho.


Dois programas interessantes, sem dúvida. Optei pelo segundo e penso que optei bem. Belo concerto, divertido e empolgante com uma multidão a trautear animados fon-fon-fon-fons. Consta que no Coliseu não foi pior, casa cheia e um concerto polvilhado com algumas versões de músicas antigas bem conhecidas do público.

Empate técnico, talvez. Boas notícias para a música portuguesa? Não necessariamente. E porquê?

Porque algo me diz que se a situação fosse invertida, ou seja, se ontem estivesse a Deolinda a 30 euros no Coliseu e a Brandi Carlile na queima das fitas a 7 euros, o resultado seria bem diferente...

2 comentários:

Mariana disse...

Lol.
Gostei deste post.
Não sei como foi o concerto da Brandi Carlile, mas a Ana Bacalhau esteve ao mais alto nível e não em arrependo de ter visto.

Mas a verdade é q ao contrario teria ido ao da Brandi, pq queima é queima!

Seja como for, são ambas fantásticas!

Beijo*

ana disse...

Deolinda no enterro da gata em Braga...não palavras! ADOREI!
Ana Bacalhau és ENORMEEEE =)

Beijocaa**

Ah e eu passei o concerto todo a saltar... "E salta Ana, e salta Ana olé olé..." =P