E se por uma vez, apenas por uma vez, a história fosse contada assim?

Sem certezas ou provas, porque o grande público nunca as tem (quem terá?), não me parece justo julgar quem quer que seja. Assim, esta história é tão válida como as horríveis que ouvi durante todo o dia e que fazem de Michael Jackson um monstro de que finalmente a Humanidade se viu livre. A minha intenção é apenas expor alguns factos e especular sobre a vida do homem e do artista como todos fazem, mas neste caso por uma perspectiva optimista, para variar...

Michael Joseph Jackson nasceu a 29 de Agosto de 1958. Começou a cantar e a dançar aos cinco anos, tornando-se no vocalista da banda Jackson 5 (formada por elementos da família) aos onze anos.O pai coordenava os ensaios da banda sempre de cinto na mão. Mais tarde, Michael enveredou pela carreira a solo,sendo o autor de cinco dos discos mais vendidos de sempre: Off the Wall, Thriller, Bad, Dangerous e HIStory. Foi o primeiro cantor afro-americano a ter direito a exibições constantes na MTV.

O artista revelou sempre uma dimensão humana enorme, tendo doado ao longo da sua vida milhões de dólares a causas beneficentes e instituições de caridade, e utilizando a sua música para chamar a atenção da humanidade para problemas como a paz (Em We Are The World, por exemplo), a pobreza (They Don't Care About Us), a saúde (Heal The World), a poluição (Earth Song) ou o racismo (Black or White), entre outras questões importantes.

A doença de pele vitiligo apareceu-lhe cedo e provocou-lhe uma progressiva despigmentação da pele que as más-línguas aproveitaram de imediato para caracterizar como "uma tentativa de se tornar branco". Algo que não faria sentido num ícone afro-americano, com uma série de amigos negros (muitos deles figuras públicas, como Quincy Jones, Aretha Franklin, Stevie Wonder ou Diana Ross), que se revolta contra o racismo. A acrescer a isto, um acidente no final de um dos concertos gerou-lhe queimaduras de segundo e terceiro grau que o artista tentou disfarçar recorrendo a operações plásticas.

A sua preocupação confessa por crianças, talvez devido à infância feliz que nunca teve, também foi devidamente explorada e aproveitada por quem tentava de qualquer forma extorquir uma parte da fortuna de Michael. Foi acusado sete vezes de abuso de menores tendo sido ilibado de todas as acusações após cinco longos anos de tribunais e julgamentos.

Dono de uma saúde sempre muito frágil, Michael Jackson tomava diariamente medicação para atenuar as dores que sentia um pouco por todo o corpo. Estava estável, até decidir voltar aos palcos e ao encontro com os seus fãs. Os ensaios diários e os medicamentos foram uma combinação forte demais para o rei da pop, tendo-lhe provocado um ataque cardíaco fulminante.

Michael Jackson faleceu muito cedo, aos cinquenta anos. Mas teve tempo para revolucionar a música pop e ensinar o Mundo a dançar.

5 comentários:

RRITA disse...

De facto não é justo julgar quem quer que seja...
Mas há coisas que não se controlam, como o facto de gostarmos ou não de alguém...

E não consigo sentir pelo Michael Jackson nem um bocadinho do sentimento presente na descrição fascinante que fazes do teu rei...

É a vida!

Jc disse...

Like a comet, blazing'cross the evening sky... gone to soon.

Quando eu estiver aí temos que combinar um "recordando"... musica e vídeos...

Abraço

Jc

Gustavo disse...

Pois, perdeu-se aquele que é, provavelmente, o ultimo genio da musica mundial, capaz de quebrar barreiras e inovar a cada passo de dança que deu...

Nao querendo entrar pelo lado pessoal, tenho pena que as geraçoes actuais nao conheçam em profundidade a historia da carreira do maior artista planetário do final do seculo 20, o ultimo grande icone global da musica e que inventou e nos forneceu novas formas de olhar a musica, os videoclips (sim, ele é o REI dos clips, penso que o primeiro a usar uma musica como fundo de uma curta-metragem...).

Por tudo isto, o meu muito obrigado ao Michael Jackson, por tudo o que ele significou enquanto artista!!!

Que o "Moonwalk" se prolongue por muitos e bons anos e que haja uma justa homenagem em breve AO Artista...

Mário disse...

Gostei, mas acho que só faltou um video ou dois, para fazer, um grande tributo a este icono...

Rita Dinis disse...

olá :)

escrevi o meu texto num ápice, num momento de inspiração. não acho que tenha assim tanto jeito.
temos isto em comum :) o michael jackson foi e será sempre uma dávida para alguns de nós. uma vida curta!
ahh.. já adicionei aos favoritos ;)

beijoo

ps-uma dúvida. como chegaste até mim? ;)