Bruxelas

E à quarta cidade... apanhámos o Moura! Ou melhor, ele é que nos apanhou – foi lá ter para passar o fim-de-semana connosco na capital europeia e para nos dar a conhecer algumas novidades (líquidas, pois claro) que tem experimentado por aquelas bandas.

Bruxelas é uma cidade... castiça. Um bocado desorganizada e muito confusa para turistas, pois o inglês é quase esquecido, falando-se dois dialectos por lá: o francês e o neerlandês – o que quer dizer que os nomes de tudo estão sempre repetidos nas duas línguas, inclusive nos mapas!

Ficámos num hostel muito simpático e lá partimos à descoberta de uma cidade que apresenta monumentos ao virar da esquina enfiados em urbanizações e prédios e em que as principais estátuas são, em pontos distintos, o famoso miúdo a fazer xixi, a irmã desse miúdo... a fazer o mesmo e ainda um cão. Porquê? Não percebo bem. Acho que nem eles sabem muito bem qual é a relação Bruxelas/urina, mas não parecem muito preocupados! Comemos um lanche típico de lá – batatas fritas (há caravanas espalhadas pela cidade a vendê-las como nós fazemos com as farturas) e claro que não podíamos falhar, ao jantar, o prato que caracteriza a cidade: Mexilhões com...batatas fritas. Não combina...

E à noite? A loucura. O pub Delirium Tremens ostenta o certificado do record do Guiness de 2004 de bar do Mundo com maior variedade de cervejas – na altura, 2004 tipos diferentes. Ora nós experimentámos alguns, cervejas loiras, ruivas, pretas, com duplas e triplas fermentações (aquela Triple Karmeliet, Moura...que perigo!) e sempre com percentagens de álcool a rondar os 10-12 graus. Cada cerveja fazia o efeito de um whisky...

Mas não foi só beber: Visitámos a Grand Place que é uma praça lindíssima e que tem uma estátua estranha que toda a gente acaricia para (pensamos nós) dar sorte. Vimos os grandes palácios e os jardins, fomos ao museu da BD (que pelos vistos é de origem belga) ler histórias aos quadradinhos e matar saudades dos Estrunfes (belgas, também!), comemos fabulosas waffles com açúcar, chantilly e morangos e sabe-se lá mais o quê. Um mimo.

E no fim da segunda noite, já cansados, decidimos ir embora quando damos de caras com umas amizades de Guimarães, o Vasco e a Rita. Uma daquelas coisas inexplicáveis que acontecem e que nos fazem pensar que isto é tudo muito pequenino ou que as coincidências são por vezes assustadoras! Adeptos confessos da ideia do cidadão do Mundo, o Vasco e a Rita aproveitavam mais um fim-de-semana para visitar Holanda e Bélgica. E naquela noite ficaram em Bruxelas. E foram jantar àquela rua. Àquela hora. Arrepiante... e deu direito a mais uma rodada, pois claro!

Se Estocolmo foi sem dúvida a cidade mais bonita que visitei, Bruxelas foi aquela em que me senti melhor, a que mais me cativou. OK, é gente realmente estranha e aquilo das batatas fritas e dos mexilhões não agrada por aí além. Mas por alguma razão o cantor Jacques Brel dizia que os belgas são o povo mais estúpido do Mundo e no entanto viveu por lá quase trinta anos...

5 comentários:

ana disse...

Portanto estatuas não é com Bruxelas de certeza....
Mas umas batatas fritas e umas cervejolas, com certeza!

São tão giras e tão fixes essas coicidências! =)

***

jf disse...

LoL! Adorei a tua descrição da cidade! LoL
Bélgica é o país da melhor cerveja do mundo e também muito conhecido pelo chocolate!
Por esses dois motivos, merecem a visita! ;)

Anónimo disse...

hummmmm.... com estas descrições deixas uma vontade terrivel de deixar os catraios com os avós e partir para uma aventura similar!!!
De facto conseguiste descrever de uma forma tão genuína que consegui "sentir o gosto da comida..." lol
Outra reacção interessante foi estar a ler num tempo morto do trabalho e consegui por as minhas colegas a ler com as diversas gargalhadas que dei... :D
rebeldia_pura

Varandas disse...

Vocês são uns fixes. :) Já tinha saudades desses comentários!

JM disse...

Agora a próxima tem que passar aqui por Lille de França! Vale a pena conhecer estes Ch'tis. Com jeitinho ainda damos um saltinho ao USPRT... Union Sportive Portugaise de Roubaix et Tourcoing! Putos a correr de um lado para o outro, empregados com camisolas do Vitória na Champions League (em que mundo foi isso?), vinho verde e sumol... e o bacalhau... ai aquele bacalhau!!!