No Portugal profundo...




8:50 da manhã, A25 no sentido Viseu-Aveiro. Tudo normal até o Mercedes que circulava à nossa frente decidir atirar-se contra o rail. Não contente com a habilidade, o condutor decide continuar a marcha deixando atrás de si restos de plástico, chapa e outras peças... às tantas perde mesmo a panela do escape que se vai enfiar, inevitavelmente, debaixo do meu carro com estrondo... O resultado foi o esperado: Encostar à berma, desligar um motor que berrava a plenos pulmões e ligar para os suspeitos do costume: Assistência em viagem, polícia, etc...

Após uma hora de espera e de quase desespero, eis que chegam todos ao mesmo tempo: Reboque, Polícia e gajo da junta de estradas. Lá assinei os papeizinhos todos, soprei ao balaozinho, mostrei os documentozinhos, etc, etc...”E agora? Está tudo?” – “Não, temos que esperar todos aqui pelo taxi que os vai levar” – Fabuloso. Mais meia hora com aqueles desconhecidos de Viseu de pronúncia especial (“agora o taxi da axistenxia em viagem vai levá-los à Hertes para lhe darem lá outro carro”) até chegar o tal taxi.
De seguida, viagem de taxi até Viseu com um motorista que tentava desesperadamente utilizar o kit mãos livres para falar com um colega (contei 48 “TOU!”s) intercalando esta actividade com sons como o “Fátima no Coração” de autor desconhecido ou o “Sou Português” de Toy. Lá conseguiram marcar a patuscada no campo da bola para Sábado à noite. Mas só depois de ele parar e desligar o carro “para ver se o boi dos mãos livres reinicia” (!?!?!?).

Quase a chegar a Viseu, a placa castanha de monumentos assinala: “Sé de Viseu”. E na mesma placa, à mão, está também registado em letras garrafais que “O Noddy é gay”. Revelador. A senhora da “Hertes” não quis estragar a boa onda da manhã e, ultra-carrancuda, lá demorou 20 minutos a preencher uns papéis de aluguer de um carro a um tal de... Miguel Pedrosa. Pior ficou quando eu lhe expliquei que não assinava porque o meu nome não era esse – e precisou de mais 20 minutos carrancudos para preencher novos papéis em condições. Coitada, devia estar a ter uma manhã surreal.......
E às 11:45 da manhã, com carro novo e completamente fora de rota, conseguimos finalmente...tomar o pequeno-almoço!!!

9 comentários:

Mariana disse...

LOOOL!
É impressionante como tens o dom de q te aconteçam coisas formidáveis a toda a hora!
Podia-vos dar pa pior, mas assim tb foi fixe :p
Tenho pena da Carla, pq sei q tu nesses momentos (em q nada corre como querias) revelas um mau humor muitas vezes insuportável. Mas às vezes chega a ser giro :D
Até desse teu mau humor tenho saudades :)

Boa sorte para as viagens do resto da semana... Com uma semana a começar assim não se pode esperar muito. (isto sem querer agoirar, claro :p)

Beijo*

mummy disse...

e no Portugal profundo sentiste-te mesmom lá em baixo. Vê o lado bom da coisa: já não foste pa Nazaré! Além disso, não é qq trabalhador da classe média que se dá ao luxo de, em dia de semana, tomar o pequeno almoço ao meio-dia!!!! Lol

mummy disse...

....pelo menos neste profundo Portugal tão profundamente em crise!!!!

MPR disse...

só em nota de rodapé... quando é que te mudas para Lisboa?

Gustavo disse...

Pois é, meu... So a ti para teres uma aventura dessas!

LOLOLOLOL

So um reparo: cuidadinho quando falas do sotaque do pessoal do meu distrito, ok?!?!

;)

Pastilhas Júnior disse...

Bah!!! :P E nunca te ocorreu o facto da mulher estar de "trombas" porque o marido, Miguel Pedrosa, batera com o seu Mercedes umas horas antes? :P

Comentário feito. :P

Varandas disse...

Gustavo, o sotaque de Viseu é, como disse...característico! :)

Ah, e mpr... será que na capital não se encontra também um cheirinho de Portugal profundo?

Obrigado a todos pelos comentários!

Francisco Gonçalves disse...

Tudo evitável caso tivesses ultrapassado logo o Mercedes... mas não... foi preferível ir atrás a rir do azar dos outros!!!

P.S. Miguel Pedrosa não te ficava mal

Helena disse...

O que ainda ninguém descobriu, é que "João Pedreira", traduzido para a lingua da terra de Viriato, quer dizer "Miguel Pedrosa"!!!!