Um flagelozinho

Esta vou roubar parcialmente ao meu irmão porque é digna de ficar registada: Aquele vício terrível dos empregados de mesa de repetirem tudo o que pedimos. Faz sentido quando se trata de um pedido grande, quando estão várias pessoas à mesa e o pedido é difícil de memorizar. Mas quando se trata de algo normal e básico, estar a repetir torna-se ridículo... Exemplo 1:

- Queria um café.
- Um café? Sim senhor.
ou
- Olhe, traga-me a ementa.
- A ementa? Com certeza.

Pior é quando o moço em causa acumula funções com aquele outro vício de atribuir diminutivo a tudo: O cafezinho, a sandezinha, o bolinho, o suminho... Exemplo 2:

- Então o que deseja?
- Pode ser um café e um bolo.
- Um cafezinho e um bolinho? Certíssimo.

Nota mental para, numa próxima oportunidade, combater este flagelo. Como? É muito simples(Exemplo 3):

- Em que posso ser útil?
- Queria um café, por favor.
- Um cafezinho?
- Não, uma água sem gás.
- Então é uma aguazinha sem gás?
- Não. Uma sandes mista.

E assim sucessivamente até o jovem perceber o absurdo da conversa e trazer-me o último pedido que fiz sem fazer perguntas desnecessárias...

9 comentários:

Gustavo disse...

MUITO bom!!

Ja era altura de se chamar a atençao da humanidade sobre este flagelozão!!!

:)

Tinês disse...

Pois não são só os empregados de mesa que se tornam um "flagelozinho"! Há maravilhosos "tiques de discurso" em várias áreas, e eu divirto-me bastante a observar e registar alguns. Exemplo: tenho uma colega que em vez de empregada de mesa é secretária, o que complica a conversa. Eu digo-lhe: Francisca, a tua chefe ligou e pediu para lhe ligares.
Resposta dela: Ah, a minha chefe ligou e pediu para eu lhe ligar?
Eu: Sim, para falarem sobre a proposta de ontem.
Ela: Ah, para falarmos sobre a proposta de ontem?
... E assim sucessivamente, até eu ficar mesmo na dúvida se ela não ouviu o que eu disse ou se está a pensar numa possível resposta, que sai sempre sob a forma de pergunta...
Tenho uma vida difícil, não tenho?

ana disse...

Isso é demais! Também já tinha "discutido" esse assunto...Mas não há nada a fazer, aquilo já é automático...e muito estúpido também =)

LP disse...

Bem, o importante a retirar daqui é que o teu irmão faz, de facto, apreciações cuidadas e extremamente inteligentes acerca do mundo em redor... mas sim, já era altura de alguém pôr os pontos nos "jotas" (sim, nos jotas!! Mania que o pessoal tem de canalizar tudo para os is...)

MJ disse...

Fantástico! Realmente, é mesmo assim. Mas devo dizer-te que os teus posts, por vezes, traumatizam-me. Olha que desde aquela cena dos peões que esperam pelo carro para, nesse momento, atravessarem na passadeira, sabes?,desde aí que já não sei atravessar sem fazer como eles!!! Achas normal??? Eu nunca tinha pensado nisso antes e deu nisso. Será que a partir de agora, quando me pedires comida ou roupa ou qq outra coisa, te vou pedir em "inho"???

MJ disse...

Digo, te vou reptir tudo e ainda por cima em 'inho'???

The Path of Sofia / The Path of Wisdom disse...

Very funny and so true!!
Acho que isto e capaz de ser mais prevalente no Norte, no Porto do que noutras cidades? Do they do this in Lisbon too?

Varandas disse...

Oh Tinês, tu precisas urgentemente de um blog só teu... cada comentário teu dava um artigo novo!

And Sofia, believe me - they're everywhere...

The Path of Sofia / The Path of Wisdom disse...

I believe you!